Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

1ª conferência de imprensa de Trump eleito

Áudio 04:03
Primeiras páginas dos jornais franceses de 12 de janeiro de 2017
Primeiras páginas dos jornais franceses de 12 de janeiro de 2017 RFI
Por: João Matos

Dois temas dominantes nas primeiras páginas dos jornais franceses: a conferência de imprensa de Donald Trump, a nível internacional e o debate sobre as primárias à esquerda para as presidenciais, em França. LE MONDE,  titula Trump ajusta contas e defende os seus interesses. O presidente eleito vai confiar o seu grupo aos seus dois filhos mais velhos e garante que não falarão de negócios em família. Na sua primeira conferência de imprensa, nota LE MONDE, Trump reconheceu o papel de Moscovo na pirataria do partido democrata americano. Trump, disse que Putine não deveria ter feito isso e não voltará a fazer isso, insistindo que a Rússia respeitará muito mais os Estados unidos, quando ele tomar posse.Por seu lado, LE FIGARO, titula a sombra russa paira sobre a presidência Trump. Durante a sua conferência de imprensa de ontem o presidente eleito denunciou alegações de comprometimento com a Rússia contidas num relatório explosivo mas não autenticado. No seu editorial, LE FIGARO nota que isto tudo começa mal. Trump, suspeito de ter tido relações comprometedoras com Moscovo, parte mal, mesmo sem ter tomado posse. Mas noutro passo do editorial, é o mesmo FIGARO a sublinhar que uma parte da imprensa americana que não é suspeita de trumpismo convida os leitores à prudência.Já o LIBÉRATION, que titula Trump, uma conferência de imprensa surrealista, concentra-se na persistência dos seus ataques aos mídias, fustigando jornais e televisões, como a CNN, de veicularem notícias falsas.Ao jornalista da CNN que queria pôr perguntas Trump, disse taxativamente: "você não tem direito à palavra, cale-se, a CNN veicula notícias fabricadas", acrescenta citado por LIBÉRATION. Por cá, em França, LIBÉRATION, que traz as fotos dos 8 candidatos de esquerda, prosseguindo com a sua série de entrevistas, com Vincent Peillon. Candidato de último minuto, o antigo ministro da educação quer ser o ponto focal num PS escangalhado e considera-se o único capaz de pôr em sentido Macron e Mélenchon;Primárias à esquerda: o combate sem tréguas duma geração, replica LE MONDE e refere-se aos nomes na esquerda que aceitaram participar nestas primárias, Manuel Valls, Benoît Hamon, Arnaud Montebourg e Vincent Hamont, que debate esta noite na televisão.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.