Acesso ao principal conteúdo
França

Festival Chantiers d'Europe e a reflexão na arte

Exposição "Revolução e democracia: A memória dos cravos", no Espace Pierre Cardin
Exposição "Revolução e democracia: A memória dos cravos", no Espace Pierre Cardin RFI
Texto por: Lígia ANJOS
12 min

Arrancou a 8ª edição do festival Chantiers d'Europe no Theâtre de la Ville de Paris. Até dia 24 de Maio, várias companhias portuguesas apresentam trabalhos na capital francesa e confirmam que a criação artística portuguesa.

Publicidade

A exposição "Revolução e democracia: A memória dos cravos" abriu, esta terça-feira, no Espace Pierre Cardin produzida pelo Museu do Aljube, em Lisboa.

A mostra "25 de Abril : fascismo nunca mais" inclui cartazes revolucionários, fotografias, testemunhos e curtas-metragens de Ana Hatherly.

Numa altura em que Paris vive um verdadeiro frenesim político, a exposição lembra um momento importante para Portugal, a Revolução de 1974, mas aproveita também para homenagear o antigo Presidente Mário Soares, que nos deixou no passado 7 de Janeiro, como nos explica o lusodescendente Emmanuel Demarcy-Mota, e director do Theâtre de la Ville.

"Na edição deste ano decidimos acompanhar artistas que trabalham com questões da sociedade de hoje; pode ser através a transmissão, o ambiente. Procuramos artistas que tenham uma ligação profunda com os grandes movimentos contemporâneos da nossa sociedade, preocupações onde a arte pode ter um papel importante de questionamento, de reflexão", explicou o fundador do festival Emmanuel Demarcy-Mota.

Amanhã, 4 de Maio, Vera Mantero apresenta o espectáculo "O limpo e o sujo". A 13 de Maio é a vez do coreógrafo Marco da Silva Ferreira interpreta a coreografia "Brother".

Nesta 8ª edição do Chantiers d'Europe há programa mais juvenil com "Sopa nuvem", da Companhia Caótica,  a 19 de Maio, e "Do bosque para o mundo", de Miguel Fragata e Inês Barahona, a 20 de Maio.

O festival conta ainda com a residência artística "uma Europa vista de fora", na qual os artistas taiwaneses Yi-Ting Hong e Cheng-Ting Chen vão trabalhar com o autor português Ricardo Neves-Neves. Residência que decorre até dia 24 de Maio.

A programação de Portugal encerra dia 20 de Maio com um espectáculo de voz e piano com Sérgio Godinho, o pianista Filipe Raposo e a participação especial da rapper Capicua.

Director do festival Chantiers d'Europe, Emmanuel Demorcy Mota

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.