Acesso ao principal conteúdo
FRANÇA

França: presidente recusa inveja dos ricos

O presidente francês Emmanuel Macron durante sua primeira entrevista na televisão.
O presidente francês Emmanuel Macron durante sua primeira entrevista na televisão. REUTERS/Philippe Wojazer
Texto por: Miguel Martins
5 min

O presidente francês concedeu na noite passada uma entrevista aos canais televisivos privados TF1 e LCI. Emmanuel Macron comentou o desaparecimento do imposto sobre a fortuna que tem sido alvo de controvérsia em França e explicou recusar a inveja em relação aos ricos.

Publicidade

Eis um excerto traduzido de Emmanuel Macron quando se dirigia directamente aos três jornalistas que o entrevistaram dizendo-lhes que estatisticamente também eles eram "ricos".

O presidente francês descartava, assim, manter um imposto sobre a fortuna, inexistente nos demais países límitrofes, por forma a não afugentar da França as pessoas "bem sucedidas" desde que estas voltem a investir no país.

"Não gosto desta oposição no seio da sociedade, quando olho para os jornalistas não vejo ricos.

E, no entanto, segundo os parâmetros das estatísticas francesas é o caso.

Aqueles e aquelas que eram bem sucedidos estavam a deixar a França e perdemos muitos talentos.

Muitas pessoas que começavam a ser bem sucedidas ou que tinham feito fortuna... uma vez vendidas as suas empresas iam aproveitar das suas fortunas noutras latitudes.

Para que a nossa sociedade conheça melhorias precisamos de pessoas com êxito.

E não se deve ter ciúmes deles, deve-se é dizer "É formidável !"

Não somos uma economia fechada: os alemães, os belgas, os italianos, os britânicos não têm imposto sobre a fortuna.

Não chegaremos a lado nenhum enquanto não deixarmos esta inveja de não gostar do sucesso dos nossos e não haveremos de lá chegar enquanto não se favorecer o investimento na economia francesa.

Se as pessoas não voltarem a investir na economia francesa aí serão alvo de impostos.

Não se pode é dizer, por um lado :

"É horrível: há empresas que são compradas por grupos internacionais. Já não há capitais em França ! Olhem: os nossos grupos são levados por interesses internacionais !"

E, do outro lado, dizer "Detesto as pessoas que têm capital, mesmo se elas o investem em França !"

Tal não é coerente !"

Tradução de excerto da entrevista de Emmanuel Macron à TF1 e LCI a 15 de Outubro de 2017

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.