Líbia/Crise

Governo líbio tenta recuperar cidades tomadas pelos insurgentes

Um insurgente acena com uma bandeira e uma faca durante os confrontos em Ras Lanuf, na sexta-feira.
Um insurgente acena com uma bandeira e uma faca durante os confrontos em Ras Lanuf, na sexta-feira. Reuters

Novos combates foram registrados neste sábado em diversas cidades da Líbia, principalmente em Zawiyah, à oeste da capital Trípoli. Os insurgentes também dizem avançar na região leste e controlar as cidades de Ben Jaouad e também Ras-Lanuf, onde está situado um importante terminal petrolífero no golfo de Syrta. O governo também diz registrar avanços no combate aos opositores do regime.

Publicidade

Em Ras-Lanuf, no leste da Líbia, os insurgentes declaram ter tomado o controle da cidade após violentos combates contra as forças leais ao ditador Muamar Kadhafi na sexta-feira. O governo líbio desmentiu que a cidade esteja nas mãos dos opositores ao regime e se prepara para recuperar esse enclave no Golfo de Syrta considerado um local estratégico. De acordo com a tv Al Jazeera, forças aéreas leais ao regime atacaram neste sábado posições obtidas pelos insurgentes.

Em Zawiyah, distante 92 quilômetros àa oeste de Trípoli, a tv estatal informa que o insurgentes estão cercados na Praça dos Mártires pelas forças leais ao regime de Kadhafi. Moradores entrevistados por emissoras de tevê árabes transmitidas por satélites, disseram que todos os homens armados da cidade foram convocados para defender o último foco de resistência, onde a munição está se esgotando.

Um militante informou que nas ruas estão expostos corpos de pessoas mortas e muitos civis são executados pela brigada especial controlada por Kahmis, um dos sete filhos de Kadhafi e responsável por combater a revolta popular ans proximidades da capital líbia.

Balanço de vítimas

Segundo fontes médicas, pelos menos 37 pessoas morreram nos violentos combates entre os insurgentes e forças leais ao coronel Kadafi no leste do país na sexta-feira.

Em Benghazi, onde teve início o movimento que tenta derrubar o regime do ditador líbio, cerca de 27 pessoas morreram e várias outras ficaram feridas na noite de sexta-feira devido a duas explosões em um depósito de armas. Não há informações precisas se as explosões foram acidentais, ou resultado de atos de sabotagem ou de ataques aéreos.

Em Ras-Lanuf, os confrontos violentos teriam deixado pelo menos 10 mortos, segundo médicos ouvidos pela agência de notícias AFP no hospital de Brega, que fica a 120 quilômetros de Ras- Lanouf, mas para onde foram levadas parte dos mortos e feridos. Nos arredores do hospital, os insurgentes temem novos bombardeios aéreos.

Retirada

O ministério chinês das Relações Exteriores afirmou neste sábado ter retirado todos os trabalhadores chineses da Líbia em uma das maiores operações já realizadas pelo governo no exterior. Segundo o comunicado oficial, neste sábado dois aviões fretados retiraram da Líbia 778 chineses.

"O governo chinês continuará a enviar aviões militares e fretados a outros países para acelerar o repatriamento de chineses que ainda estão na região", afirmou o ministério no documento. O vice-ministro das Relações Exteriores, Song Tao, informou que dos 31.860 chineses retirados da Líbia, cerca de 21 mil já tinham chegado à China.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI