Líbia/Ofensiva

OTAN assume o comando das operações militares na Líbia

Operações militares na Líbia deixam de ser comandadas pelos Estados Unidos, França e Grã-Bretanha.
Operações militares na Líbia deixam de ser comandadas pelos Estados Unidos, França e Grã-Bretanha. Reuters

Os 28 embaixadores da OTAN reunidos em Bruxelas confirmaram que a organização vai assumir o comando de todas as operações militares na Líbia. Até então, os bombardeios da coalizão internacional eram chefiados pelos Estados Unidos, a França e o Reino Unido.

Publicidade

Em comunicado oficial após uma reunião deste domingo em Bruxelas, o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Anders Fogh Rasmussen, confirmou que a instituição aceitou liderar a ofensiva militar. “Nós pedimos para o alto comando operacional da OTAN que execute essa operação imediatamente”, declarou o responsável. A direção da ofensiva sera pilotada pelo general canadense Charles Bouchard.

A OTAN já havia assumido o compromisso de controlar o embargo de armas à Líbia no mar Mediterrâneo e a zona de exclusão aérea. Mas a transferência do comando das operações militares da coalizão representa um novo direcionamento dos ataques contra alvos terrestres na Líbia. A Organização pretende reduzir significativamente os bombardeios aéreos nos próximos dias e privilegiar uma solução política para o conflito. “Nosso objetivo é proteger os civis, ameaçados pelos ataques do regime do coronel Kadafi”, disse Rasmussen.

A decisão da OTAN foi tomada no mesmo dia em que os rebeldes líbios anunciaram terem controlado as cidades de Ben Jawad e Ras Lanuf, a posição mais avançada que a oposição já teve desde o início da insurreição contra o regime de Muammar Kadafi.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI