Acesso ao principal conteúdo
Alemanha/ União Europeia

Parlamento alemão aprova último plano de ajuda à Grécia

Vista geral do Bundestag, o parlamento alemão, onde será votada nesta segunda-feira a ajuda à Grécia.
Vista geral do Bundestag, o parlamento alemão, onde será votada nesta segunda-feira a ajuda à Grécia. Flickr/Arne Bevaart
Texto por: Ana Carolina Peliz
4 min

O Parlamento alemão aprovou, na tarde desta segunda-feira, o último plano de apoio à Grécia. A decisão foi majoritária: 496 dos 591 deputados presentes votaram pelo "sim" - um resultado que já era esperado pela chanceler Angela Merkel. A líder alemã poderá, assim, ratificar as decisões dos ministros das finanças da zona do euro sobre esta nova ajuda no próximo final de semana, em Bruxelas.

Publicidade

"Os riscos de desviar da Grécia são incalculáveis", declarou Merkel durante seu discurso no Parlamento. Ela reconheceu que o caminho aberto diante do país é longo e com perigos inevitáveis. "Isso vale também para o sucesso do programa [aprovado], ninguém tem garantia que ele terá 100% de sucesso. Mas qualquer outra decisão seria irresponsável", analisou.

O novo plano de ajuda a Atenas será feito através dos Fundos Europeus de Estabilização da zona do Euro, que funciona desde 2010, e não necessita do desbloqueio de dinheiro alemão ou de seus parceiros. A ratificação poderá, desta forma, agradar a gregos e troianos. Segundo uma pesquisa realizada pelo jornal alemão Bild, 62% dos alemães são contra o plano de ajuda à Grécia, que consideram um "poço sem fundo", somente 33% são à favor.

Ajuda financeira de emergência

Os líderes europeus também devem voltar a se reunir na próxima quinta-feira em Bruxelas para revisar os recursos do mecanismo de ajuda financeira de emergência aos países endividados. O resultado da reunião pode abrir caminho para que o resto dos membros do G20, inclusive o Brasil, aumentem as contribuições para o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O ministro de Finanças alemão Wolfgang Schauble afirmou que uma decisão não será necessariamente tomada no encontro de quinta-feira. Segundo ele, a Europa tem todo o mês de março para decidir. Já o ministro francês das Finanças, François Baroin, disse que quanto mais cedo chegarem a uma decisão, melhor. Uma próxima reunião de ministros do G20 está prevista para abril em Washington, onde os progressos europeus serão avaliados.

Os países do G20 advertiram a zona do euro, que deve desembolsar mais dinheiro para limitar o contágio de sua crise da dívida, se quiser receber ajuda do resto do mundo. O comunicado final da reunião dos ministros e presidentes de bancos centrais das 20 maiores economias do planeta multiplica a pressão sobre a Alemanha, para que aceite aumentar os fundos de resgate da zona do euro.

Otimismo do mercado

Os esforços da União Europeia estão dando frutos. Desde dezembro o euro voltou a se valorizar em relação ao dólar e está sendo cotado acima de 1,34. Isto indica sinais de confiança na aprovação do plano de salvamento da Grécia pelo Parlamento Alemão hoje à tarde.

Outra notícia que deve aumentar o otimismo é que o Banco Central Europeu vai propor seu segundo empréstimo a 3 anos na quarta-feira. Segundo analistas, os bancos da zona euro devem pedir montantes entre 400 e 600 bilhões de euros, o que deve aumentar ainda mais a confiança dos mercados.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.