Acesso ao principal conteúdo
França/Eleições

No último dia de campanha, pesquisas divergem sobre vencedor do 1° turno

Cartazes de François Hollande e Nicolas Sarkozy.
Cartazes de François Hollande e Nicolas Sarkozy. REUTERS/Philippe Wojazer
Texto por: RFI
5 min

Hoje  é o último dia de campanha para os 10 candidatos às eleições presidenciais francesas. A partir da meia-noite, a lei eleitoral proíbe entrevistas de candidatos, campanha e até a publicação de sondagens com as intenções de voto. Muitas dúvidas ainda pairam sobre o resultado da votação deste domingo, entre elas, quem chegará em primeiro lugar: o presidente Sarkozy ou o socialista François Hollande?

Publicidade

Se os indecisos, que representam um quarto dos eleitores, esperavam pela divulgação das últimas pesquisas eleitorais para escolherem seu candidato, eles podem ficar ainda mais confusos, já que as songadens divulgadas hoje não chegam a um consenso. A pesquisa do instituto BVA coloca o socialista François Hollande com 30% dos votos, seguido pelo presidente Nicolas Sarkozy com 26,5%.

No instituto Ipsos, o resultado é igual, mas o placar é diferente. Hollande fica com 29% e Sarkozy com 25,5%. Mas uma terceira pesquisa do TNS Sofrès mostram um empate técnico entre os dois adversários com 27% cada um.  Na tentativa de conquistar eleitores nesse último dia de campanha, vale tudo: comícios, entrevistas e até troca de farpas.

O líder da maioria das pesquisas, François Hollande, pediu ontem em um discurso em Bordeaux para cerca de 15 mil pessoas que os eleitores franceses não tenham medo de mudar e que não se deixem enganar por falsas promessas.

François Hollande

Mas, para o candidato à reeleição, Nicolas Sarkozy, pelo visto, essa não é a hora de mudanças radicais. Em uma entrevista na televisão ontem, ele voltou a insistir nos seus princpais temas de campanha e reiterou que pretende cortar pela metade o fluxo de imigrantes na França. Ele fez um apelo aos eleitores para que se afastem da tentação de votarem na extrema direita ou na extrema esquerda.

 

Nicolas Sarkozy

Em resposta, a candidata da extrema-direta, Marine Le Pen, que aperece em algumas pesquisas na terceira posição na corrida pelo Eliseu, atacou o presidente candidato à reeleição.

Marine Le Pen

 Disputando a terceira colocação na corrida presidencial, o candidato da extrema-esquerda Jean-Luc Mélenchon fez seu último grande comício ontem em Paris e convocou os franceses a se unirem contra o voto na extrema-direita. 

Mélenchon

Outra variante que pode pesar nesse domingo é a taxa de abstenção que pode ser recorde e atingir 32%. Na França, o voto não é obrigatório.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.