Para Alemanha, política econômica de Hollande está no caminho errado

RFI/ninanoel

 A França de Hollande preocupa a Alemanha. Com essa manchete, o jornal conservador Le Figaro alerta seus eleitores que os alemães já criticam abertamente e apontam os riscos da política econômica adotada pelos socialistas franceses.

Publicidade

 Oficialmente as relações entre os dois países estão ótimas, mas nos bastidores, políticos os consultores alemães não escondem a inquietude crescente com a França, escreve Le Figaro. Visto de Berlim, os dirigentes franceses estão fazendo escolhas erradas que poderão colocar o país no mesmo caminho da Grécia.

Até o ex-chanceler Gerhard Schröder, que governou a Alemanha no começo da década passada, tem apontado insistentemente os erros dos socialistas, como a volta da aposentadoria aos 60 anos de idade para certas categorias de trabalhadores.

A imprensa e alguns políticos dizem abertamente o que o governo de Angele Merkel pensa mas não fala em público: que o presidente François Hollande parece não se dar conta da extensão e da gravidade da crise. Hollande se parece com Alice no País das Maravilhas, comentou um político que ocupa um alto cargo em Berlim, citado por Le Figaro.

Em editorial, o jornal conservador reitera as críticas do imobilismo do governo diante da falta de competitividade do país. Para Le Figaro, dentro da bolha em que se transformou o Palácio do Eliseu, François Hollande tenta convencer todo mundo de que sabe para onde vai. O problema, escreve Le Figaro, é que ninguém sabe para onde vai a França.

Já Libération volta ao caso de Mohamed Merah, o jovem que matou três militares franceses e outras quatro pessoas em uma escola judaica em Toulouse no mês de março. Depois de ter acesso a documentos do serviço secreto francês, o jornal progressista denuncia que agentes já haviam alertado seus superiores, mas estes últimos minimizaram os riscos que o extremista radical islâmico representava. A alta cúpula dos serviços de informação ignorou as advertências feitas pelos agentes de Toulouse e isso precisa ser esclarecido, afirma Libération.

A abertura da semana dos videogames de Paris foi a ocasião para o jornal Aujourd'hui en France identificar o perfil dos fanáticos por essa diversão. Segundo o jornal, um em cada dois jovens franceses curte jogos eletrônicos e a média de idade desses fãs é de 34 anos, ou seja, os videogames não são apenas diversão de adolescentes.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI