Síria/crise

China propõe cessar-fogo na Síria

Enviado da ONU Lakhdar Brahimi cumprimenta ministro chinês das Relações Exteriores, Yang Jiechi, em Pequim
Enviado da ONU Lakhdar Brahimi cumprimenta ministro chinês das Relações Exteriores, Yang Jiechi, em Pequim REUTERS/Takuro Yabe/Pool

A China propôs um cessar-fogo gradual a fim de evitar mais violência na Síria, num plano considerado ao mesmo tempo vago, mas também significativo de mudanças na postura diplomática do governo chinês na questão. É um dos principais pontos do texto, que aponta outras três metas, como a criação de um órgão de transição do governo.

Publicidade

 

As principais críticas ao texto apresentado pelo Ministério das Relações Exteriores chinês nesta quinta-feira apontam uma falha em designar o papel do atual regime no projeto de transição.

Pequim, ao lado de Moscou, é vista como simpática ao regime do presidente Bashar Al-Assad. Os dois países, membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, já vetaram três projetos da ONU apoiados pelos governos ocidentais que condenavam a violência do governo Bashar al-Assad.

A mudança de postura em Pequim serviria para mostrar que os chineses não estão tomando partido no conflito sírio. E ocorre durante a visita do enviado de paz da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Lakhdar Brahimi, à capital chinesa. O chanceler chinês, Yang Jiechi, afirmou que o mundo deve agir com a maior urgência para apoiar os esforços de mediação de Brahimi.

O porta-voz do Ministério, Hong Lei, diz que a proposta chinesa pretende fazer pressão "para que as partes envolivdas na Síria cheguem ao cessar-fogo e ao fim da violência, além de lançar um processo de transição política".

Este passo importante para mostrar a mudança de atitude da comunidade internacional diante do conflito foi dado um dia depois de os Estados Unidos declararem apoio ao surgimento de uma nova liderança entre a oposição a Bashar Al-Assad. O conflito se arrasta por mais de 20 meses e o número de mortos já teria superado os 30 mil.

Da correspondente da RFI em Pequim, Janaína Silveira

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI