Croácia/ Sérvia

Tribunal Penal para a ex-Iugoslávia absolve generais croatas

Pessoas celebram, em Zagreb, o veredicto do Tribunal Internacional pela ex-Iugoslávia, que inocentou dois ex-generais croatas considerados heróis da independência, nesta sexta-feira (16).
Pessoas celebram, em Zagreb, o veredicto do Tribunal Internacional pela ex-Iugoslávia, que inocentou dois ex-generais croatas considerados heróis da independência, nesta sexta-feira (16). REUTERS

O Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPII) absolveu nesta sexta-feira Ante Gotovina e Mladen Markac, dois ex-generais croatas, considerados “heróis” da guerra da independência da Croácia, mas acusados, pelos sérvios, de crimes de guerra. A decisão anula as graves acusações contra Zagreb, sobre crimes cometidos durante a guerra da independência, entre 1991 e 1995, que opôs croatas e sérvios.

Publicidade

O líder dos sérvios da Bósnia, Milorad Dodik, criticou a decisão afirmando que tinha o objetivo de “limpar o currículo da Croácia antes de sua adesão” à União Europeia, que deve acontecer em 2013.

“O julgamento confirmou tudo o que pensávamos sobre a Croácia, que os generais Gotovina e Markac são inocentes e que não era um plano criminoso comum organizado pelo poder e as forças croatas com o objetivo de expulsar civis, nossos concidadãos, de nacionalidade sérvia”, como afirmava o ato de acusação, disse o presidente croata Ivo Josipovic.

O TPII acusava os ex-generais, condenados em primeira instância a 24 e 18 anos de prisão respectivamente, de serem responsáveis pela morte de 324 civis e soldados rendidos e da expulsão de 90.000 sérvios da região de Krajina. Mas as associações de vítimas sérvias dizem que o número de refugiados foi de 220.000 e que 1.200 civis morreram.

Os fatos foram cometidos durante a operação “Tempestade”, em 1995, que tinha como objetivo reconquistar a República Sérvia auto-proclamada de Krajina (sul), um dos últimos focos de resistência mantidos pelos sérvios.

Josipovic afirmou que o Estado croata tinha a responsabilidade por todas as vítimas sérvias e que puniria todos os crimes individuais cometidos na guerra.

O presidente sérvio, Tomislav Nikolic, disse que o veredicto era uma decisão política “escandalosa”. Segundo ele, a decisão não contribuirá para estabilizar a situação na região e deve “abrir velhas feridas”.

Na Croácia, o anúncio foi recebido com euforia por milhares de pessoas que acompanhavam o julgamento em um telão gigante instalado na praça central de Zagreb.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI