Acesso ao principal conteúdo
Imprensa

Oposição francesa vai recorrer contra imposto de 75% para milionários

O projeto do governo impõe um pagamento de 75% às pessoas com rendimentos superiores a € 1 milhão.
O projeto do governo impõe um pagamento de 75% às pessoas com rendimentos superiores a € 1 milhão. AFP PHOTO/PHILIPPE HUGUEN
Texto por: Elcio Ramalho
3 min

O parlamento francês deve aprovar nesta quinta-feira o orçamento do governo para 2013 e no dia seguinte a Corte Constitucional do país vai ser acionada pela oposição e por juristas. Segundo os jornais, os ataques virão de todas as partes para contestar a aplicação do imposto sobre a fortuna e do polêmico impostos de 75% para quem ganha mais de € 1 milhão por ano, o equivalente a R$ 2,6 milhões.

Publicidade

O jornal econômico Les Echos escreve em sua manchete que os impostos para os mais ricos na França têm vários riscos jurídicos. O principal deles, segundo juristas ouvidos pelo jornal, é a aplicação combinada dos dois impostos, sobre o da fortuna e sobre os salários acima de € 1 milhão.

O texto da lei orçamentária ampliou o termo rendimento para além do salário, incluindo outros ganhos, o que pode, no final das contas, fazer com que um contribuinte milionário pague mais de 100% de seu salário real. O mecanismo é considerado um verdadeiro "confisco" por vários especialistas e pelos políticos do partido UMP, do ex-presidente Nicolas Sarkozy.

O imposto de 75% sobre os altos salários é o grande alvo dos ataques, mas o fato de ser provisório, previsto para durar apenas dois anos, pode ser um argumento favorável ao governo, escreve Les Echos.

Libération diz que a maratona fiscal vai chegar ao fim hoje com a aprovação pela Assembleia de um texto que já foi recusado duas vezes pelo Senado. Mas como os deputados têm a palavra final, o orçamento vai receber o sinal verde. 

Libération lembra declarações do presidente Hollande afirmando que se trata do maior esforço de contenção de gastos públicos dos últimos 30 anos. São € 20 bilhões de altas de impostos divididos entre os contribuintes e as empresas.

A oposição, escreve Libération, atribui a esse orçamento tipicamente de esquerda a onda de exilados fiscais que buscam outros países para fugir da mordida feroz do leão francês.

O jornal Le Figaro, em seu suplemento de economia, anuncia que a partir de 2013 vai oferecer aos 600 mil brasileiros que visitam a a França todos os anos uma revista trimestral, em português, claro, chamada Paris Chic.

Um ano e meio depois de ter lançado a edição em mandarim para os turistas chineses, o grupo Le Figaro tem como alvo a clientela brasileira. A primeira edição, de 100 mil exemplares, será distribuída em aeroportos do Rio e São Paulo, e aqui na França em hotéis de luxo de várias cidades, como Paris, Bordeaux e na Côte d'Azur. A diretora da publicação explica que os brasileiros são fãs de mar e montanha.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.