Acesso ao principal conteúdo
África do Sul/Mandela

Nelson Mandela deixa hospital, mas continuará tratamento em sua casa

Foto de arquivo do ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, que estava hospitalizado desde o dia 8 de dezembro.
Foto de arquivo do ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, que estava hospitalizado desde o dia 8 de dezembro. REUTERS/Jonathan Evans/File
Texto por: RFI
3 min

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela foi autorizado nesta quarta-feira a deixar o hospital onde estava internado há mais de duas semanas devido a uma infecção pulmonar. De acordo com um comunicado divulgado esta noite pela presidência da África do Sul, o herói da luta anti-apartheid continuará recebendo tratamento em sua residência na capital Joanesburgo até que esteja completamente recuperado.

Publicidade

Com 94 anos, Madiba, como é  carinhosamente chamado pelos sul-africanos, foi internado no dia 8 de dezembro no hospital de Pretória. No dia 15 de dezembro, ele foi submetido a uma intervenção para a retirada de cálculos renais.

"Nós pedimos que sua intimidade continue sendo respeitada para que ele possa contar com as melhores condições possíveis para um restabelecimento completo", diz o documento emitido pelos serviços do atual presidente do país, Jacob Zuma.

Durante todo o tempo em que esteve hospitalizado, o governo sul-africano não forneceu muitas informações sobre o estado de saúde ou sobre o tratamento que estava recebendo o ex-presidente.

No entanto, dia do Natal, Mandela recebeu a visita de sua mulher, Graça Machel, de sua família e do presidente Zuma. "Ele estava bem", contentou-se em dizer o dirigente em comunicado divulgado na terça-feira.

Seu neto Mandla declarou estar surpreso pela duração de sua internação. "Nós estamos muito tristes com a sua ausência das comemorações de Natal. Nós não esperávamos que ele ficasse longe durante tanto tempo", desabafou.

Apartheid

Uma das personalidades mais respeitadas em todo o mundo, Mandela sofre de problemas pulmonares e sua estadia no hospital é a mais longa desde sua saída da prisão em 1990. O problema está relacionado a sequelas de uma tuberculose contraída durante seu período no presídio de Robben Island, onde permaneceu por 18 anos.

Presidente de 1994 a 1999, ele passou 27 anos de sua vida detido por ter lutado contra o apartheid, regime de segregação racial adotado pela África do Sul de 1948 e 1994.

Muito querido pelos sul-africanos, Madiba recebeu o afeto de seus compatriotas através de mensagens de melhoras durante todo o tempo em que esteve hospitalizado.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.