Tensão/Coreia do Norte

Coreia do Norte diz que guerra contra os EUA pode começar "hoje ou amanhã"

Norte-coreanos promoveram um encontro nesta quarta-feira para celebrar uma futura vitória do país sobre uma possível guerra contra os Estados Unidos e a Coreia do Sul.
Norte-coreanos promoveram um encontro nesta quarta-feira para celebrar uma futura vitória do país sobre uma possível guerra contra os Estados Unidos e a Coreia do Sul. REUTERS/KCNA
Texto por: RFI
3 min

A Coreia do Norte voltou a ameaçar os Estados Unidos na noite desta quarta-feira dizendo ter aprovado um projeto de operações militares contra Washington, incluindo um eventual ataque nuclear. Em um comunicado divulgado pela KCNA, a agência de informação do regime de Kim Jong-Un, a guerra contra os americanos pode começar “hoje ou amanhã”.

Publicidade

De acordo com o exército norte-coreano, a “operação implacável” do país foi “definitivamente examinada e ratificada”. A Coreia do Norte também avisou a Casa Branca que os americanos serão “esmagados” através de “meios nucleares modernos, leves e diversificados”.

“Os Estados Unidos deveriam pensar melhor sobre a grave situação atual”, completa o documento da KCNA.

A tensão entre os dois países começou a se agravar em dezembro de 2012 com o lançamento de um foguete norte-coreano que foi considerado por Washington como um teste de míssil de longo alcance. No entanto, a Casa Branca considerou que Pyongyang não teria condições de atacar diretamente o território americano.

Em fevereiro, a Coreia do Norte fez seu terceiro teste nuclear, e recebeu novas sanções do Conselho de Segurança da ONU. Paralelamente, os Estados Unidos e Coreia do Sul desenvolviam juntos manobras militares, como os vôos dos aviões B-52 e B-2, acima do território da Coreia do Sul – o que piorou a crise com o vizinho do Norte.

Durante a semana passada, Pyongyang declarou estar pronto para atacar os Estados Unidos, a Coreia do Sul e o Japão, onde se encontram, respectivamente,  28 mil e 50 mil militares americanos.

Defesa antimíssieis

O Pentágono informou nesta quarta-feira à noite que vai enviar nas próximas semanas um sistema avançado de defesa antimísseis para a sua base na ilha de Guam, no oceano Pacífico. Washington diz que a decisão é uma medida de precaução contra as provocações norte-coreanas.

O secretário americano de Defesa Chuck Hagel afirmou que as ameaças nucleares de Pyongyang são um perigo "grave e real" para os Estados Unidos, a Coreia do Sul e o Japão.

Mais cedo, Hagel se reuniu com o ministro sul-coreano das Relações Exteriores, Yun Byung-Se, com quem ratificou a parceria para a defesa, em caso de uma ofensiva da Coreia do Norte.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI