Acesso ao principal conteúdo
Portugal/ Crise

Portugal discute futuro após intervenção da troika

O primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, cujo futuro será discutido nesta segunda-feira (20).
O primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, cujo futuro será discutido nesta segunda-feira (20). REUTERS/Hugo Correia
3 min

O presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, vai se reunir, na tarde desta segunda-feira, com o Conselho de Estado para abordar a situação e discutir o futuro do país quando o Portugal não estiver mais sob intervenção da troika, o trio de credores do país formado pelo banco Central Europeu, o FMI e a União Europeia.

Publicidade

Adriana Niemeyer, correspondente da RFI em Lisboa

Os membros do Conselho também querem definir o futuro do governo do conservador Pedro Passos Coelho, já pensando em um novo executivo formado pelo Partido Socialista que aparece bem à frente dos Sociais Democratas nas ultimas pesquisas.

O fim da intervenção da troika está previsto para julho de 2014. Com o governo mergulhado numa profunda crise, ameaçado de ruptura pelo partido de coalizão se for aplicada uma nova taxa para os aposentados, debater a situação do país depois da ‘troika' parece uma ideia estranha

Os credores exigem cortes cada vez mais duros, mas os portugueses estão realmente cansados de arrochos salariais e de aumentos de impostos. E a força política de Pedro Passos Coelho está se esgotando. “Um debate sobre o futuro depois da troika parece um delírio do presidente quando todos temos a sensação de que a situação social e política pode arrebentar a qualquer momento”, diz o editorial do jornal português Diário Economico.

Segundo alguns analistas políticos, ligados ao atual governo, Cavaco Silva faz bem em não colocar a situação atual na agenda das discussões, já que “isso significaria dramatizar uma situação já dramática por si só”. O objetivo é “baixar a temperatura, e por outro lado recriar pontes para o futuro com o Partido Socialista.”

E realmente existem cada vez mais dúvidas de que o Governo resista a grande onda de contestação social prevista para os próximos meses e à aprovação do Orçamento do Estado para 2014. O movimento "Que se lixe a troika" convocou para hoje uma concentração de protesto, em frente ao Palácio de Belém, em Lisboa, durante a reunião do Conselho de Estado.

O protesto tem como objetivo exigir do Presidente da República, que "finalmente assuma o seu cargo, respeite a constituição e demita o governo, que está devastando a vida dos portugueses", segundo a organização do movimento.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.