Espanha/Escândalo

Ex-tesoureiro do partido de Rajoy depõe sobre esquema de corrupção

O ex-tesoureiro do  PP, Luis Barcenas, na saída de audiência em  6 de fevereiro de 2013.
O ex-tesoureiro do PP, Luis Barcenas, na saída de audiência em 6 de fevereiro de 2013. REUTERS/Juan Medina

Luis Barcenas, ex-tesoureiro do PP, partido do premiê espanhol, Mariano Rajoy, comparece hoje em uma audiência para dar detalhes sobre as transações financeiras do partido nos últimos anos. Barcenas está em detenção provisória desde 27 de junho sob suspeita de corrupção. Ontem, o jornal El Mundo trouxe novas revelações que constrangem ainda mais Rajoy e que aumentam a expectativa torno do depoimento de hoje.

Publicidade

Luis Barcenas chegou de manhã à audiência em Madri em um veículo da prisão de Soto del Real em Madri. Sob a orientação de uma nova equipe de advogados de defesa, Barcenas deve apresentar centenas de documentos originais e um pendrive com dados de toda a contabilidade do partido entre 1990 e 2008.

Esses papéis devem revelar, entre outras coisas, nomes de importantes doadores de campanha do partido e também quem eram os beneficiados do esquema fraudulento de pagamento de "complementos salariais" a membros da cúpula do PP. Os pagamentos ilegais eram feitos em dinheiro vivo e financiados por uma espécie de caixa 2 do partido.

A vice-presidenta do governo, Soraya Sáenz de Santamaría, declarou hoje, porém, que não se preocupa com o teor do depoimento de Barcenas. Ela disse ainda que o Executivo está disposto a colaborar com a Justiça espanhola. Mas o depoimento de hoje pode aprofundar o mal-estar político na Espanha sobretudo depois das novas revelações publicadas ontem pelo jornal "El Mundo".

O periódico espanhol divulgou que o premiê Rajoy e Luis Barcenas continuaram a trocar mensagens de texto via celular mesmo depois de o ex-tesoureiro já ter sido apontado como o pivô de um escândalo de corrupção. Nas mensagens, Rajoy mostrava cumplicidade e apoio a Barcenas. Barcenas tambem é citado em outros escândalos financeiros e é investigado por deter contas não declaradas na Suíça que somam 48 milhões de euros (R$ 141 milhões)

Essas novas revelações aumentam o descontentamento com o governo de Rajoy que, além de ser acusado de não conseguir lidar com a grave crise econômica, agora tambem é acusado de corrupção. Por enquanto, a maioria do governo deve conseguir frear moções de censura da oposição. Mas resta saber por quanto tempo eles conseguirão resistir à pressão.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI