Acesso ao principal conteúdo
China/Onda de calor

Contra calor, governo chinês provoca chuvas artificiais

Em Wuhan, homem almoça com pés na água para se refrescar
Em Wuhan, homem almoça com pés na água para se refrescar REUTERS/China Daily

A onda de calor na China tem preocupado o governo. Nesta quarta-feira, Pequim divulgou um alerta à população de Xangai e outras províncias em diversas regiões do país. As maiores preocupações são ocorrências de insolações e incêndios. Em cidades vizinhas a Xangai, os governos locais provocaram chuvas artificias para aplacar o calor.

Publicidade

Colaborou a correspondente da RFI em Pequim, Janaína Silveira

É o caso de Hangzhou, a mais quente da China, onde as temperaturas superaram os 40°C por seis dias seguidos - recorde desde o início das medições, há 62 anos. Xangai não adotou a medida, pois as autoridades temem atrapalhar o tráfego aéreo.

O calor deixou pelo menos 11 mortos em Xangai. Nesta quarta-feira, a maior metrópole da China registrou as temperaturas mais altas dos últimos 140 anos. Até o fim da semana, o termômetro pode chegar a 41 graus, afirmou o governo chinês. Em Xangai, os 39,8°C da tarde de ontem provocaram uma corrida às piscinas públicas da cidade.

Na provícia de Sichuan, centenas de banhistas em boias lotaram um parque aquático chamado “Mar Morto da China”. Na cidade de Pianyan, na região central do país, um restaurante instalou suas mesas na beira de um rio para que as pessoas comessem com os pés na água.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.