GRECIA/CIGANOS

Caso de menina encontrada com ciganos dá esperança a pais de desaparecidos

A imprensa grega lhe chama o "anjo louro", já que o teste de DNA mostrou que a menina não é filha biológica do casal cigano.
A imprensa grega lhe chama o "anjo louro", já que o teste de DNA mostrou que a menina não é filha biológica do casal cigano. REUTERS/Greek Police/Handout

Desde a descoberta de uma menina de 4 anos em um acampamento cigano na Grécia, na semana passada, cerca de 8 mil de parentes de crianças desaparecidas entraram em contato com a ONG grega "Sorriso de Criança", na esperança de encontrar seus filhos. Segundo a Comissão Europeia, 250 mil crianças desaparecem todos os anos no continente - uma média de um caso a cada dois minutos.

Publicidade

No último dia 16, a polícia grega encontrou uma menina loira em um acampamento cigano na cidade de Farsala durante uma operação. Testes de DNA provaram que ela não era filha do casal que se apresentava como seus pais - e que teve sua prisão decretada. Além de Maria, como emes chamavam a garota, o casal havia registrado outras 13 crianças em três cidades diferentes - sendo 6 nos últimos 10 meses. Somente a existência de quatro delas foi comprovada. Por meio da fraude, o casal de ciganos embolsava 2.500 euros por mês em assistência social.

As autoridades também suspeitam da atuação de uma quadrilha de tráfico de crianças e solicitou ajuda à Interpol. Um casal americano de Kansas City, no Meio-Oeste do país, afirma que Maria, apelidada pela imprensa grega de "anjo loiro", poderia ser sua filha, raptada em 2011, e que teria hoje 3 anos. As autoridades gregas, entretanto, afirmam que a garota encontrada em Farsala tem, pelo menos, 4 anos de idade. Segundo a ONG Sorriso de Criança, onde a menina vai morar a partir de agora, pelo menos dez pistas promissoras sobre a real identidade dela foram recebidas.

Mais um caso na Irlanda

Nesta segunda-feira, policiais irlandeses retiraram a custódia de uma menina de 7 anos que vivia em um acampamento cigano na periferia de Dublin. A ação ocorreu depois de a polícia receber uma denúncia. Os supostos pais ciganos da menina apresentaram documentos à polícia, mas que foram considerados pouco convincentes. O casal afirma que a garota nasceu em um hospital de Dublin - mas não há registro do nascimento. A foto no passaporte também levantou suspeitas dos policiais, por exibir uma criança muito mais nova.

O resultado do teste de DNA deve sair nos próximos e confirmará se a garota é, de fato, filha do casal.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI