Acesso ao principal conteúdo

Le Figaro está preocupado com setor aéreo brasileiro durante a Copa

As companhias aéreas TAP, Air France e TAM citadas no artigo do Le Figaro desta quarta-feira, 26.
As companhias aéreas TAP, Air France e TAM citadas no artigo do Le Figaro desta quarta-feira, 26.
Texto por: Adriana Brandão
4 min

Temas econômicos dominam as manchetes dos jornais franceses desta quarta-feira (26). Os jornais destacam principalmente o fraco desempenho econômico francês que preocupa a Europa. Le Figaro publica um grande artigo sobre as ambições de negócios das companhias aéreas com a Copa do Mundo no Brasil. Ele critica a falta de alternativa de transporte e a dependência do país ao setor aéreo.

Publicidade

Le Figaro escreve que, quatro meses antes da abertura do Mundial, as companhias aéreas esperam transportar 3,7 milhões de torcedores no Brasil durante a competição em voos internacionais e domésticos. TAP, TAM, Air France são algumas das empresas citadas. Segundo o jornal conservador, elas já estão em posição de batalha e até já iniciaram uma competição para captar o fluxo de turistas a partir do dia 12 de junho.

Le Figaro informa que a TAP irá propor o maior número de voos entre a Europa e o Brasil. Ela vai pousar nas 12 cidades que vão sediar os jogos e disponibilizar em seus aviões 21,5 mil lugares por semana, durante os 30 dias da competição. Em seguida vem a TAM, com 11,4 mil lugares, e em terceiro a Air France, com pouco mais de 8 mil.

Todas as companhias apostam que, entre os 600 mil turistas estrangeiros esperados no Mundial, muitos vão aproveitar para visitar outras regiões do Brasil ou outros países da América Latina.

Críticas ao atraso nas obras

O jornal lembra que a Air France não vai poder, como esperado, utilizar o maior avião comercial do mundo, o A380, para ampliar sua oferta. Por causa dos atrasos nas obras de Guarulhos, a Anac proibiu o mega avião de pousar no aeroporto de São Paulo.

Mas a companhia francesa vai passar a pousar três vezes por semana em Brasília, a partir do final de abril, e concluiu com a Gol um acordo de parceria exclusiva para transportar os turistas estrangeiros em voos domésticos.

O jornal critica a dependência do Brasil, que não tem trem bala ou outras alternativas de tranporte, ao setor aéreo. O artigo diz que apesar das privatizações, a modernização da maioria dos aeroportos não ficará pronta a tempo, e os atrasos nos voos, que hoje atingem um voo em cada dez, poderão se intensificar durante a Copa do Mundo. Essa situação leva os dirigentes brasileiros a “suar frio”, afirma o jornal conservador.

Situação econômica francesa preocupa Bruxelas

Le Figaro informa que Bruxelas contesta as previsões de Paris. A Comissão europeia garante que o déficit público francês será próximo de 4% em 2015, enquanto a França promete que ele será inferior a 3%, como manda o pacto de estabilidade europeu.

A França deve crescer este ano 1% e 1,7% em 2015. Mas esta retomada do crescimento econômico, que deve se confirmar este ano, segundo o La Croix, não será suficiente e Bruxelas calcula que o déficit francês continuará importante, de 3,9% do PIB no ano que vem. A França levou um cartão amarelo de Bruxelas, ironiza o Le Parisien/Aujourd'hui en France.

Por causa desse cenário, país se vê obrigado a fazer mais economias, destaca o Les Echos. O jornal econômico também revela que Bruxelas acredita que a taxa de desemprego francesa vai continuar aumentando, mas muito pouco este ano, 11% contra 10,8 em 2013.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.