HIV/OMS

OMS alerta para aumento de infecções de HIV entre homossexuais

Atualmente 35,5 milhões de pessoas são portadores do vírus da Aids.
Atualmente 35,5 milhões de pessoas são portadores do vírus da Aids. Getty Images/Chad Baker

As contaminações de homens homossexuais com o vírus da Aids têm aumentado em várias partes do mundo, alertou nesta sexta-feira (11) a Organização Mundial de Saúde. A OMS recomenda que esse grupo tome antirretrovirais a fim de prevenir o contágio. Tomar regularmente um comprimido que combina dois antirretrovirais, além do uso de preservativos, pode diminuir o risco de contágio entre 20% e 25%, adverte a entidade.

Publicidade

"A epidemia disparou", alertou Gottfried Hirnschall, diretor do departamento de vírus da imunodeficiência humana (HIV) da OMS. A evolução dos medicamentos e a maior longevidade dos contaminados, mais de 30 anos após a eclosão da pandemia, fizeram com que as campanhas de prevenção diminuíssem e as infecções voltassem a aumentar, segundo Hirnschall.

Segundo a OMS, os homossexuais têm um risco 14 vezes maior que o resto da população de contrair o vírus. Em Bangcoc, por exemplo, a Aids afeta 5,7% dos homens que mantêm relações sexuais com outros homens e apenas 1% da população geral.

Prevenção

Em novas recomendações publicadas nesta sexta-feira, a OMS recomenda que os homossexuais tomem “antirretrovirais como método preventivo contra o HIV". Essa iniciativa, aliada ao uso de camisinhas, pode evitar a incidência de contágio em 20% a 25%.

Atualmente 35,5 milhões de pessoas carregam o vírus da Aids. Dessas, 71% se encontram na África subsaariana.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI