Brasil/França

Cúpula do Brics e roubo de carros na França são destaques na imprensa

Capas dos jornais franceses Le Figaro, Les Echos, Libération e Le Parisien/Aujourd'hui en France desta quinta-feira, 17 de julho de 2014.
Capas dos jornais franceses Le Figaro, Les Echos, Libération e Le Parisien/Aujourd'hui en France desta quinta-feira, 17 de julho de 2014.

A cúpula do Brics no Brasil continua em destaque nos jornais desta quinta-feira (17). Libération define a criação do banco e do fundo de reservas do grupo como "um pequeno passo para o desenvolvimento e potencialmente um grande passo para a instauração de um sistema financeiro alternativo ao FMI e ao Banco Mundial".

Publicidade

Les Echos ressalta que ao final do encontro do Brics, ontem, em Brasília, a presidente Dilma Rousseff esclareceu que as potências emergentes não têm a intenção de se distanciar do FMI. O diário especializado em economia cita trechos da entrevista coletiva de Dilma, por exemplo quando ela disse que os pedidos de empréstimo ao banco serão analisados com generosidade, respeitando, porém, critérios de boa gestão financeira.

Além disso, Les Echos destaca o interesse dos emergentes em democratizar o FMI, tornando o fundo o mais representativo possível da correlação de forças econômicas na atualidade, conforme explicou a presidente Dilma Rousseff.

Todos os jornais franceses utilizam a mesma fórmula: os emergentes lançaram, no sexto encontro de cúpula do grupo, as bases de uma nova arquitetura financeira mundial para contrabalançar a hegemonia ocidental criada na conferência de Bretton Woods, no final da Segunda Guerra Mundial.

Cresce roubo de carros na França

O diário popular Aujourd'hui en France informa em sua manchete uma explosão do roubo de carros na França. Um carro, seja ele popular ou de luxo, é roubado a cada cinco minutos no país. Os desmanches estão por toda parte, mantidos por máfias especializadas no tráfico de autopeças. Essas organizações criminosas alimentam mercados no leste da Europa e na África.

O jornal descreve as formas de roubo mais comuns. Em 20% dos casos, o ladrão entra na casa do proprietário do carro durante a noite, pega as chaves e foge com o veículo. A metade dos roubos ocorridos nos últimos dois anos, segundo Aujourd'hui en France, aconteceu com carros estacionados. Os ladrões entram nos carros quebrando uma janela ou arrombando a porta e vão embora usando chaves codificadas ou outras ferramentas de informática que driblam os sistemas de proteção desenvolvidos pelas montadoras.

Embora em queda, outras duas modalidades frequentes de roubo de veículos na França são a abordagem da vítima no semáforo e a simulação de um problema mecânico num outro veículo. A vítima é induzida a parar a fim de ajudar outro motorista e, nesse momento, tem seu carro roubado.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI