Hollande falhou ao tentar reconquistar franceses pela televisão

O presidente François Hollande durante uma entrevista na televisão em 6 de novembro de 2014.
O presidente François Hollande durante uma entrevista na televisão em 6 de novembro de 2014. TF1

O encontro do presidente François Hollande com os franceses em um programa de televisão para fazer um balanço da metade de seu mandato foi amplamente criticado pelos jornais que circulam nesta sexta-feira (6). A maioria deles considerou a intenção do presidente Hollande de explicar a ação do seu governo um "tiro pela culatra".

Publicidade

O conservador Le Figaro, sempre na oposição ao governo socialista, afirma em sua manchete que François Hollande "falhou mais uma vez". Para o jornal, o chefe de Estado francês mostrou um "otimismo de fachada" e protagonizou "um exercício laborioso para se autojustificar". A participação dele também foi considerada muito "fraca de anúncios".

Le Figaro estima que Hollande quis mostrar aos franceses que o país que ele governa vem fazendo grandes reformas e ainda desperta muita admiração de seus vizinhos. Mas, diante de índices de impopularidade recordes e da situação econômica catastrófica do país, o objetivo do presidente de defender seu governo era uma "tarefa impossível", na avaliação do Le Figaro. Por isso, o jornal afirma que Hollande não conseguiu convencer nem se impor diante da opinião pública.

Hollande assume erros

O Aujourd'hui en France destacou a frase de Hollande em que ele assumiu "ter cometido erros". Um deles, segundo o presidente, foi o de ter prometido uma queda no índice do desemprego, o que não aconteceu. O jornal afirma que o presidente enfrentou momentos de grande dificuldade quando questionado diretamente por quatro cidadãos franceses convidados a fazer perguntas diretamente a ele.

Hollande penou para responder sobre temas como o desemprego para pessoas em final de carreira e as reformas tímidas para estimular as empresas do país. Aujourd'hui en France admite que comparecer a um programa de televisão para defender a metade de seu governo foi um exercício arriscado para Hollande. "Ele não tremeu, mas também não conseguiu passar segurança aos franceses para o restante de seu mandato", avalia o jornal.

Tentativa arriscada de mudar imagem

O jornal Libération estimou que, ao comparecer ao vivo em um programa de tevê, François Hollande teve como grande objetivo reforçar seus laços com os franceses no momento em que seu governo é aprovado apenas por 12% da população.

Ele quis ser pedagógico, mas acabou acuado pelos jornalistas e pelos quatro cidadãos convidados. Mas, na avaliação do Libération, o socialista conseguiu mostrar um novo tom. Respondeu com firmeza aos ataques, recusou as críticas sobre o estado atual da França e voltou a mostrar confiança na sua política, apesar dos erros iniciais.

Hollande quis passar a imagem de um presidente reformador e que pretende modernizar a França. Em editorial, Libération disse que o presidente enfrentou "os ventos contrários" com veemência e previu, com muita honestidade, que os resultados de seu programa vão aparecer em dez anos.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI