Argélia

Argélia adopta medidas mais drásticas de combate ao coronavírus

Argélia toma medidas mais drásticas de combate ao coronavírus, encerrando cafés, restaurantes, depois de ter proíbido manifestações e suspendido voos aéreos e ligações marítimas.
Argélia toma medidas mais drásticas de combate ao coronavírus, encerrando cafés, restaurantes, depois de ter proíbido manifestações e suspendido voos aéreos e ligações marítimas. RYAD KRAMDI / AFP

A Argélia tinha agendado novo protesto para hoje, mas a epidemia do novo coronavírus inviabilizou desde já as manifestações que se têm prolongado desde há mais de um ano. O país do norte de África tem mais de 90 casos de Covid 19.

Publicidade

Em Argélia onde a propagação do coronavírus está em franco avanço, as autoridades argelinas anunciaram ontem à noite novas medidas para estancar a progressão da pandemia, nomeadamente, o encerramento de cafés e restaurantes nas grandes cidades.

O Presidente Abdelmadjid Tebboune decidiu suspender a circulação de "todos os meios de transportes públicos e privados nas cidades, frequesias e distritos, assim como o tráfego ferroviário".

Estas novas medidas preveem igualmente "a desmobilização de 50% dos funcionários homens enquanto as mulheres com crianças ficam em casa auferindo os seus ordenados. Permanecem a trabalhar apenas pessoas com funções vitais na sociedade argelina.

Segundo as autoridades argelinas, estas novas medidas entram em vigor já este domingo e durarão até 4 de abril. Um comunicado oficial sublinha que a data poderá ser prolongada.

A Argélia já tinha fechado todos os recintos públicos como salas de espectáculos e de festas, suspensão de todos os voos aéreos e ligações marítimas e proíbição de reuniões e manifestações .

Assim as tradicionais manifestações das sextas-feiras reclamando mais liberdade e democracia não terão lugar hoje tendo as autoridades  e o próprio colectivo organizador apelado à responsabilidade dos argelinos neste período da epidemia do coronavírus. 

Por outro lado, o ministério do Interior, encarregou a polícia a multar os especuladores e tomar medidas necessárias em relação aos prevaricadores que responderão perante a justiça.

"Nós saberemos o que fazer depois de 10 de abril quando terminar o período de quarentena dos argelinos que estão bloqueados em aeroportos internacionais e que serão repatriados", afirmou o Presidente Tebboune, no final duma reunião de crise. 

De notar que ontem houve 3 mortos na Argélia, que ao todo, conta com 9 mortos, desde que foi registado o primeiro caso de contaminação em fins de fevereiro.

Até hoje a Argélia já contava com 91 casos do coronavírus Covid-19, segundo o ministério da Saúde. 

Crónica Argélia

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI