Acesso ao principal conteúdo
Europa

União europeia dividida sobre financiamento da crise sanitária

União europeia sem acordo para financiar crise sanitária
União europeia sem acordo para financiar crise sanitária REUTERS/Yves Herman
Texto por: João Matos
4 min

Os dirigentes da União europeia reunidos ontem via videoconferência para analisar a situação de crise provocada pelo coronavírus não chegaram a acordo quanto a soluções a adoptar.

Publicidade

A Alemanha e a Holanda mostraram-se contra a abertura de uma linha de crédito especial junto do mecanismo europeu de estabilidade, fundo europeu de gestão de crises financeiras, como propuseram ontem Paris, Roma e Madrid durante uma videoconferência.

Assim, os 27 chefes de estado e de governo estipularam um prazo de 15 dias para os seus ministros das Finanças encontrarem uma solução.

A Holanda e a Alemanha, contra créditos especiais estariam no entanto abertas a outras soluções que o mecanismo europeu permite.

A Itália, país europeu mais afectado, pediu para a zona euro fazer tudo que seja possível para lutar contra a crise sanitária.  

Países europeus estão divididos sobre solução à crise

O Primeiro ministro espanhol, Pedro Sanchez, apelou para não se repetir os erros da crise financeira de 2008.

Por seu lado, o Presidente francês, Emmanuel Macron, preveniu que os fundamentos da União europeia estão em perigo.

Enfim, o Primeiro ministro português, António Costa, criticou o "discurso repugnante e mesquinho" do ministro holandês das Finanças, Wopke Hoekstra.

Críticas feitas ao responder a jornalistas sobre a posição do ministro holandês que pediu um inquérito para saber porque é que certos países da União não têm margem de manobra orçamental para lutar contra a pandemia do coronavírus.

Crónica de João Matos

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.