Acesso ao principal conteúdo
Mundo

Violência regressa ao Afeganistão com atentados que fizeram dezenas mortes

Forças de segurança durante o ataque de homens armados a um hospital de Cabul no Afeganistão que registou outro atentado na fronteira com o Paquistão com dezenas de mortes.
Forças de segurança durante o ataque de homens armados a um hospital de Cabul no Afeganistão que registou outro atentado na fronteira com o Paquistão com dezenas de mortes. STR / AFP
Texto por: RFI
4 min

Pelo menos 13 pessoas entre elas 2 bebés foram mortas hoje no hospital Dasht-e-Barchi de Cabul, durante um ataque levado a cabo por homens armados, mortos pela polícia afegã. Mais de 100 outras pessoas nomeadamente 3 estrangeiros, foram resgatadas pelas forças de segurança afegãs. Também na fronteira com o Paquistão foram mortas 24 pessoas num atentado suicida durante o funeral de um chefe da polícia.

Publicidade

Homens armados atacaram esta manhã um hospital de Cabul no seio do qual os Médicos sem fronteiras tinham uma enfermaria, matando pelo menos 13 pessoas das quais  2 bebés. 100 outras pessoas nomeadamente 3 estrangeiros, puderam ser resgatas pelas autoridades afegãs.

As forças de segurança puseram fim esta tarde ao ataque no hospital de Dasht-e-Barchi, matando todos os assaltantes.

O ataque que fez ainda 15 feridos começou esta manhã quando 3 homens armados disfarçados com fardas da polícia irromperam no estabelecimento disparando e lançando granadas, segundo as autoridades.

A população está em estado de choque e após estes ataques em Cabul que vivia uma relativa calma nos últimos meses.

Os talibães rejeitam a autoria dos dois ataques 

No leste do país, na província de Nangarhar, na fronteira com o Paquistão foram igualmente mortas 24 pessoas e 68 outras ficaram feridas num atentado suicida cometido durante o funeral de um chefe da polícia no qual participavam responsáveis nacionais e um deputado, que declarou que o balanço poderá ser mais pesado.

Os talibães que têm sido abordados pelos americanos para participarem em negociações de paz, rejeitaram qualquer responsabilidade nos dois ataques e ignora-se quem estaria por detrás dos atentados. 

O grupo jiadista estado islâmico presente na província de Nangarhar reivindicou nos últimos meses vários ataques espectaculares em Cabul. O chefe do seu ramo regional, Abou Omar Khorasani, foi preso ontem na capital afegã. 

Enfim, a Amnistia internacional condenou os dois ataques, como crimes de guerra insensatos no Afeganistão".

Ataques no Afeganistão

 

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.