Acesso ao principal conteúdo
Imprensa Semanal

Relações tensas entre Argel e Paris ou Angela Merkel, Patroa da Europa

Áudio 04:19
Relações tensas entre Paris e Argel ou Merkel, Patroa da Europa, Trump, máfia e as presidenciais
Relações tensas entre Paris e Argel ou Merkel, Patroa da Europa, Trump, máfia e as presidenciais © João Matos
Por: João Matos
10 min

Abrimos esta Imprensa semanal com a revista JEUNE AFRIQUE, destacando na sua edição online, Argélia-França: as verdadeiras razões duma desavença diplomática.  

Publicidade

Argel chamou de volta o seu embaixador em França após a difusão de dois documentários sobre o chamado Hirak, uma decisão que na realidade esconde uma discórdia mais profunda entre os dois países. 

A difusão de dois documentários e debates sobre o Hirak, "Argélia, meu amor" na televisão France 5, e "Argélia, a revolução até ao fim?" na cadeia parlamentar LCP, terá tido o efeito de uma granada de fragmentação. Primeiro uma avanlancha de críticas, protestos e reprovações nas redes sociais.

Depois, uma retaliação política francamente inesperada. O embaixador, Salah Lebdoui, em Paris desde 2019 é chamado a regressar imediatamente a Argel para consultas, ordens que cumpriu logo de seguida.

Do lado francês a resposta é prudente recordando que os meios de comunicação social dispoem de uma "completa independência", protegida pela lei, declarou o porta-voz do ministério dos Negócios estrangeiros. Mas Paris sublinhou que entende continuar a trabalhar no aprofudamento das releações bilaterais, nota, JEUNE AFRIQUE.

Ao chamar o seu embaixador, Argélia, joga com a fibra nacionalista, replica, L'OBS, que, no entanto, faz a sua capa, com Trump, eleições, como ele espera ganhar. Tudo indica que o presidente pode perder, porque a crise do coroanvírus que caiu como uma hecatombe nos Estados Unidos tira-lhe todas as chances. Mas o homem da Casa Branca, decidido a ganhar o seu segundo mandato ainda não disse a sua última palavra e tem um plano, excêntrico, mas talvez, eficaz.

Mais do que nunca mobilizada, a sua base continua a acreditar. A única certeza é que Trump, fará tudo para evitar um frente a frente com o seu rival democrata, Joe Biden, bem posicionado nas sondagens. É esperada uma campanha extremamente violenta, sublinha, L'OBS.  

Também LE POINT, se refere a Donald Trump, que foi antigo informador do FBI e suas ligações com a Máfia no passado. Um especialista da Máfia, Fabrizio Calvi, descreve as relações de Trump com o rei mafioso "Fat Tony" Salerno, rei do betão ou então Dan Sullivan, um sindicalista diabólico que trabalhou para Trump junto da Cosa Nostra.

Trump, sempre jogou nos dois tabuleiros para construir o seu império nomeadamente os Casinos. Mas como conseguiu ficar impune à justiça? Porque, segundo Calvi, Trump era um informador assíduo de um poderoso membro da delegação do FBI em Nova Iorque, cuja associação de veteranos financiaria mais tarde, acrescenta, LE POINT.

Trump fará tudo para ser reeleito e Merkel é a Patroa da Europa

Mas a capa deste semanário, LE POINT, é Angela Merkel, a Patroa. Como Merkel pode salvar a Europa. A ciência duma mulher de Estado e os sucessos dos bastidores do "new deal" entre Paris e Berlim.  A chanceler alemã,, doutora em Química quântica teve de reflectir muito tempo de modo frio sobre a mão estendida pelo presidente francês Macron antes de se pronunciar.

Primeiro teve de procurar o apoio da maioria do grupo parlamentar CDU-CSU no Parlamento federal e teve um papel importante o líder da bancada, Ralph Brinkhaus, perito financeiro influente e defensor de um plano Marshall europeu.

Depois sabia que os sociais democratas, parceiros no governo e os verdes na oposição estão de acordo com um tal projecto desde o começo da pandemia do coronavírus que atingiu duramente a Itália, com Joscka Fisher, antigo ministro dos Negócios estrangeiros e o líder do SPD, Sigmar Gabriel, a dizer: "se não os ajudarmos nunca nos perdoarão", nota, LE POINT. 

Quanto ao COURRIER INTERNATIONALE, destaca um artigo do Frankfurter Allgemeine Zeitung, sobre esses milhares de alemães que desceram às ruas para defender as liberdades coarctadas em tempos de covid-19. Quando há um alijeiramento das medidas restritivas destinadas a lutar contra o coronavírus, não cessa de aumentar os protestos contra essas mesmas medidas.

Em toda a Alemanha crescem esses movimentos de protesto e uma atmosfera de distúrbios paira no ar.  Entre os organizadores das manifestações como representantes dos autocarros e hotéis, certos reclamam reivindicações legítimas, como mais apoios do Estado. Mas há também indivíduos egoístas que procuram instilar as suas ideias nefastas junto da população, acrescenta, COURRIER INTERNATIONAL.

Enfim, L'EXPRESS que faz a sua capa com o Professsor epidemiologista francês, Didier Raoult, que dispara contra todos. "Os homens políticos são todos uns hologramas".

Numa entrevistada musculosa, ele afirma que  representa um choque que sacode o mundo e que disputa o monopólio da palavra aos meios de comunicação social.

Nada indulgente, afirma que os jornalistas dão muita importância ao terrorismo, homicídios e suicídios que representam apenas 2% da mortalidade, mas fazem 70% por cento das noticías nos jornais como The Guardian ou New York Times, e 30% no Google, o que é uma distorção da realidade, pelo que a imprensa mente mais que o digital como Youtube e as redes sociais que vieram para equilibrar tudo, nota, L'EXPRESS.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.