Acesso ao principal conteúdo
Turquia/Santa Sofia

Papa “angustiado” com conversão de Santa Sofia em mesquita

Papa “angustiado” com conversão de Santa Sofia em mesquita
Papa “angustiado” com conversão de Santa Sofia em mesquita VATICAN MEDIA / AFP
Texto por: Cristiana Soares com Lusa
3 min

O Papa Francisco afirmou estar “muito angustiado” com a conversão da antiga basílica de Santa Sofia numa mesquita. As palavras do líder da Igreja Católica são o primeiro comentário do Vaticano sobre a decisão turca.

Publicidade

Após a oração dominical do Angelus, o sumo pontífice pronunciou-se pela primeira vez sobre a decisão da Turquia de transformar a basílica de Santa Sofia numa mesquita. Na sequência de uma mensagem sobre o Dia Internacional do Mar, o Papa Francisco falou da decisão de Ancara: “o mar leva o meu pensamento um pouco longe, para Istambul, penso em Santa Sofia e estou muito angustiado”.

As palavras do líder da Igreja Católica são o primeiro comentário do Vaticano sobre a decisão turca, uma vez que no sábado o jornal do Vaticano limitou-se a relatar o sucedido e a relatar as principais reacções internacionais.

Na sexta-feira, o mais alto tribunal administrativo da Turquia, aceitou o pedido de diversas associações e revogou a medida governamental de 1934 que conferia a Santa Sofia o estatuto de museu.

Sem mais demora, imediatamente a seguir a esta decisão, o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou que a antiga basílica bizantina de Constantinopla seria aberta às orações muçulmanas enquanto mesquita.

Esta é uma medida que o presidente islamita e conservador Recep Tayyip Erdogan defende há anos.

O edifício, classificado património da humanidade pela Unesco, é um monumento à coexistência religiosa. Construída no século VI como a maior catedral do mundo cristão, na então Constantinopla bizantina, foi transformada em mesquita no século XV, quando os otomanos conquistaram Bizâncio, e é desde os anos 30 do século passado um museu.

As tentativas de transformar o imponente edifício numa mesquita levantaram um coro de críticas no Ocidente. Palavras que o Presidente turco rejeita, lembrando os “direitos soberanos” do seu país.

A agora mesquita poderá abrir aos fiéis já no próximo dia 15 de Julho, quando se celebra o quarto aniversário do falhado golpe de Estado contra o “todo-poderoso” Erdogan.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.