Acesso ao principal conteúdo
Líbano

Líbano: executivo de Hassan Diab demite-se em bloco

Manifestante em Beirute após as explosões no porto a 4 de Agosto.
Manifestante em Beirute após as explosões no porto a 4 de Agosto. © João Sousa/RFI
Texto por: RFI
4 min

O executivo de Hassan Diab demitiu-se em bloco, uma semana depois das violentas explosões que arrasaram a cidade de Beirute. O primeiro-ministro libanês garante que as explosões “são culpa da corrupção endémica no Estado e na Administração”. Nas ruas os protestos continuam.

Publicidade

A demissão do Governo de Hassan Diab prende-se com as explosões da semana passada no porto de Beirute, que provocaram pelo menos 160 mortos e cerca de 6.000 feridos.

Uma "verdadeira catástrofe", nas palavras do governante, que aconteceu numa altura em que o país já enfrentava uma grave crise económica e social, marcada por protestos em todo o país.

O anúncio da demissão foi feito esta tarde pelo ministro da Saúde Hamad Hassan. Já nos últimos dias o Governo tinha sofrido três baixas com as saídas dos titulares das pastas do Ambiente, Justiça e Informação.

Nas ruas os protestos continuam, com o registo de confrontos entre os manifestantes e as forças de segurança libanesas no centro da capital, pelo terceiro dia consecutivo. Há centenas de feridos.

Aos poucos Beirute tenta levantar-se com ajuda das diferentes organizações humanitárias internacionais e respectivos donativos, o envio de assistência médica e de equipas de resgate. Desde as explosões que a população invadiu as ruas com pás, vassouras e baldes para limpar a cidade e ajudar habitantes e comerciantes locais.

Ontem, uma conferência de doadores para o Líbano organizada pelo Presidente francês, Emmanuel Macron, em que participaram vários líderes internacionais, angariou 300 milhões de dólares (254 milhões de euros) em assistência humanitária, “directamente entregues à população libanesa”.

Com a colaboração de João Sousa, correspondente em Beirute.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.