Acesso ao principal conteúdo
África

CEDEAO pede de novo à Junta militar golpista para permitir regresso de civis ao poder

Niamey, capital do Níger, recebe mais uma cimeira da CEDEAO sobre situação no Mali, onde Junta militar golpista continua no poder
Niamey, capital do Níger, recebe mais uma cimeira da CEDEAO sobre situação no Mali, onde Junta militar golpista continua no poder CC BY-SA 4.0/Adamaou Fodi Salahadine
Texto por: RFI
4 min

A Comunidade económica dos Estados da África ocidental reuniu-se em cimeira hoje na capital nigerina para debater, nomeadamente, a questão do Mali, tendo exigido à junta militar golpista o regresso até 15 de setembro de um presidente civil no período de transição. Os militares derrubaram a 28 de agosto o presidente Ibrahim Boubacar Keita. A CEDEAO exige também regresso de civis às instituições democráticas.

Publicidade

Reunida em Niamey capital nigerina em mais uma cimeira sobre a situação maliana a CEDEAO, Comunidade económica dos Estados oeste africanos, exigiu hoje a designação de um Presidente civil durante a transição no Mali, até 15 de setembro, depois do golpe de agosto da Junta militar.

Presidente nigerino, Mahamadou Issoufou, tinha declarado na abertura de  mais esta cimeira da organizaçao que a CEDEAO queria igualmente o regresso de civis ao poder e a entrada da Junta militar às casernas. 

"É dever da nossa comunidade ajudar os malianos para que possa haver um restabelecimento rápido de todas as instituições democráticas. A Junta militar deve ajudar-nos a ajudar o Mali", afirmou, o chefe de Estado nigerino, Issoufou, igualmente, Presidente em exercício da CEDEAO.

Levantamento de sanções só com regresso de civis

O Presidente do Níger, insistiu em sublinhar que outros parceiros estratégicos do povo do Mali, alimentam as mesmas esperanças e que a CEDEAO, tinha adoptado sanções e pedido à Junta militar para regressar às suas casernas e fazer uma transição de 12 meses no máximo".

Recorda-se que a 28 de agosto numa cimeira extraordinária da CEDEAO, o Presidente Issoufou tinha sublinhado que as sanções seriam levantadas em função da implementação das medidas permitindo o regresso de civis ao poder.

De notar que 8 chefes de Estado, nomeadamente, os Presidentes do Senegal, Macky Sall marfinense, Alassane Ouattara e da Guiné Bissau, Umaro Sissoco Embaló, estavam presentes na abertura desta cimeira de hoje em Niamey, capital nigerina.

Cimeira da CEDEAO e o Mali

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.