Acesso ao principal conteúdo
Nobel da Paz

Nobel da Paz atribuído ao Programa Alimentar Mundial

O Prémio Nobel da Paz 2020 foi atribuído ao Programa Alimentar Mundial.
O Prémio Nobel da Paz 2020 foi atribuído ao Programa Alimentar Mundial. Reuters
Texto por: Cristiana Soares com AFP
4 min

O Prémio Nobel da Paz 2020 foi atribuído ao Programa Alimentar Mundial, em reconhecimento dos esforços para combater a fome e para melhorar as condições para a paz em zonas em conflito. A entrega do prémio está marcada para 10 de Dezembro em Oslo, Noruega.

Publicidade

O anúncio foi feito esta sexta-feira em Oslo, pelo Comité Nobel Norueguês. O Programa Alimentar Mundial (PAM) é recompensado pelos “seus esforços na luta contra a fome, pelas contribuições na melhoria das condições de paz em zonas em conflito e por ter desempenhado um papel capital na prevenção do uso da fome como arma de guerra e conflito”, palavras da presidente do Comité Nobel, Berit Reiss-Andersen.

Prontamente o PAM reagiu à atribuição do prémio Nobel da Paz 2020, via Twitter, a organização sublinhou que “Paz e erradicação da fome são indissociáveis”.

David Beasley, director executivo do PAM, também via Twitter, diz-se pela primeira vez na vida “sem voz” e “muito honrado” com o prémio: “trata-se do formidável reconhecimento do compromisso da família PAM que trabalha todos os dias para erradicar a fome em mais de 80 países.”

Num vídeo onde presta homenagem aos 17.000 funcionário do PAM, Beasley sublinhando que “eles estão no terreno nas zonas mais difíceis e mais complexas do planeta, seja devido a uma guerra, um conflito ou a condições climáticas extremas. Pouco importa, eles estão no terreno e merecem esta recompensa”.

Já sob a forma de comunicado, o director executivo do PAM insistiu na ligação indissociável entre “segurança alimentar, paz e estabilidade”. “Sem paz, não conseguiremos atingir o nosso objectivo mundial de erradicação da fome. Enquanto existir fome, nunca existirá um mundo pacífico”.

O PAM foi igualmente recompensado pelo trabalho desenvolvido para enfrentar a crise da covid-19, uma vez que a pandemia aumentou drasticamente a fome no mundo.

Aos jornalistas, a presidente do Comité Nobel, Berit Reiss-Andersen, sublinhou que é “cada vez mais evidente a necessidade de solidariedade e de cooperação multilateral”. “A pandemia do novo coronavírus contribuiu para um forte aumento do número de vítimas de fome no mundo. (…) A comida continua a ser a melhor vacina contra o caos”, acrescentou.

Em 2019, o PAM ajudou 97 milhões de pessoas em 88 países. Com sede em Roma, é a primeira organização mundial de luta contra a fome. De acordo com os dados oficiais, uma em cada nove pessoas no mundo não come o suficiente para saciar a sua fome.

A organização alerta que até ao fim do ano a fome pode afectar 270 milhões de pessoas, um aumento de 82% em relação à situação antes da crise da covid-19.

A cerimónia de entrega do prémio está marcada para 10 de Dezembro, em Oslo, na Noruega, e devido às medidas de restrição associadas à covid-19, contará com a presença de apenas 100 convidados.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.