África

Ouattara, reeleito presidente da Costa do Marfim, numa eleição boicotada pela oposição

Alassane Ouattara, reeleito presidente da Costa do Marfim, numa eleição boicotada pela oposiçã
Alassane Ouattara, reeleito presidente da Costa do Marfim, numa eleição boicotada pela oposiçã SIA KAMBOU / AFP

A Comissão eleitoral independente na Costa do Marfim, anunciou hoje a vitória do presidente candidato, Alassane Ouattara, na eleição presidencial de sábado, com um resultado de 94,27% dos votos. Ouattara é assim reeleito logo na primeira volta do escrutínio presidencial boicotado pela oposição, que anunciou um governo de transição.

Publicidade

Alassane Ouattara, de 78 anos, foi proclamado hoje presidente reeleito pela Comissão eleitoral independente para um terceiro mandato, com resultado de 94,27% dos votos na primeira volta das eleições presidenciais de sábado boicotadas pelas oposição.

A oposição declarou a reeleição de Ouattara inconstitucional, anunciou um governo de transição e a uma nova organização de eleições credíveis, segundo, Pascal Affi N'Guessan, porta-voz da coligação da oposição, em declarações à RFI.

Pascal Affi N'Guessan, porta-voz da coligação de oposição

Por seu lado, o governo marfinense acusou hoje a oposição que não reconhece a reeleição de Alassane Ouattara, de "conspiração contra a autoridade do Estado".

Assim "o governo recorreu ao procurador da República de Abidjan, pedindo que sejam levados aos tribunais os autores e os cúmplices dessas infracções", declarou, o ministro da Justiça, Sansan Kanbile, durante uma conferência de imprensa. 

Ontem, a  oposição, que considera o mandato do Presidente Ouattara inconstitucional, anunciou que tinha criado um Conselho nacional de transição para formar um governo de transição.

"Essa declaração da oposição, assim a violência no seguimento do boicote do escrutínio presidencial, constituem actos de atentado e de conspiração contra a autoridade do Estado", sublinhou, o ministro.

Interrogado sobre uma possível prisão de líderes da oposição, o ministro, Kanbile, respondeu que "todas as opções estão em cima da mesa, opções que o procurador analisará serenamente". 

Oiçamos, Adama Bictogo, director executivo do RHDP, partido no poder, que pede que a lei seja aplicada contra a oposição que desrespeitou a autoridade da República. 

Adama Bictogo, director executivo do RHDP, partido no poder

União europeia exprimiu sua viva preocupação 

De notar que apesar da oposição ter apelado ao boicote da eleição, a Comissão eleitoral independente, anunciou que Henri Konan Bédié, candidato independente, obteve 1,99% dos votos à frente de dois outros candidatos da oposição.

Esta eleição presidencial contou com uma taxa de participação de 53,90%.  

Em matéria de reacções as Naçoes Unidas, mostram-se preocupadas com a fuga de cerca de 3.200 cidadãos da Costa do Marfim, para países vizinhos, depois da violência dos últimos dias que já fez cerca de 40 mortos e vários feridos. 

Por seu lado, a União europeia, exprimiu a sua "viva preocupação" em relação à situação de tensão e  que tomou conhecimento do anúncio dos resultados provisórios destas eleições presidenciais, na Costa do Marifm. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI