França

Covid-19: esperança prudente mas a tensão continua forte nos hospitais de França

Covid-19: abrandamento em Paris e e sua grande região mas tensão ainda nos hospitais franceses
Covid-19: abrandamento em Paris e e sua grande região mas tensão ainda nos hospitais franceses © AFP

A França vive de novo confinada desde 30 de Outubro, na sequência da segunda vaga da pandemia do novo coronavírus. Pela primeira vez o ministro da saúde admite, de forma prudente, um abrandamento da propagação da Covid-19. 

Publicidade

Primeiros sinais de abrandamento do avanço do coronavírus em Paris e grande região da Ilha de França mas a tensão nos hospitais continua crítica e ainda é cedo para se adoptar medidas mais leves.

"Há um começo de abrandamento", segundo o director geral  do organismo que coordena os hospitais de Paris, Martin Hirsch, uma "fraca oscilação", acrescenta, o ministro da Saúde, Olivier Véran.

Assim, o ministro da Saúde, promete fazer um "balanço do confinamento", lá mais para o fim da semana ou começo da próxima semana, altura em que o governo poderá anunciar se há ou não necessidade de medidas complementares. 

Prudência porque houve excesso de optimismo

Um eventual afrouxamento das medidas de confinamento é esperado pela época natalícia, em vários sectores, nomeadamente, no comércio alimentar, restauração e hotelaria, muito atingidos pelo reconfinamento, depois da primeira vaga da pandemia de primavera.

Conclusão: esta prudência explica-se, primeiro, porque o abrandamento não é em todo o país, mas, apenas, em Paris e a região de Ilha de França, e depois, há que ter presente que houve um excesso de optimismo por ocasião da primeira vaga de Covid-19.

França com algum abrandamento na propagação da Covid-19

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI