Acesso ao principal conteúdo
França

Situação continua preocupante em França por causa da Covid disse PM

Situação continua preocupante em França por causa da Covid disseram PM, Jean Castex e Ministro da Saúde Olivier Véran
Situação continua preocupante em França por causa da Covid disseram PM, Jean Castex e Ministro da Saúde Olivier Véran AFP - LUDOVIC MARIN
Texto por: RFI
4 min

O Primeiro ministro francês, Jean Castex, declarou ao fim da tarde na televisão, que a situação continua preocupante em França devido à  circulação do vírus da Covid. A segunda vaga do coronavírus continua presente em França, sublinhou o primeiro ministro.

Publicidade

Apesar da campanha de vacinação em curso que vai ser reforçada, permitindo  que 1 milhão de pessoas sejam vacinadas,  a situação é ainda grave no país. 

Jean Castex, que falava durante uma conferência de imprensa, declarou que o reocolher obrigatório em vigor vai continuar porque não só a situação é grave, como se agrava mesmo no leste da França e nos territórios e departamentos das Antilhas. 

Por outro lado, continua a dar entrada nos hospitais diariamente cerca de 2500 casos de pessoas contaminadas. 

Ainda há 25 000 pacientes com o coronavírus hospitalizados pelo que a pressão continua forte nos hospitais e a situação sanitária é muito frágil, disse o primeiro ministro francês. 

Jean Castex, afirmou ainda que todos os estabelecimentos culturais, como cinema, museus ou teatros, não serão reabertos a 20 de janeiro como perspectivado e que portanto permanecem encerrados.

O primeiro ministro francês, mostrou-se ainda preocupado com a variante da Covid no Reino Unido e na África do sul. Uma variante que poderá ser mais contagiosa do que a Covid-19, razão pela qual anunciou o encerramento da fronteira com o Reino Unido.

"Devemos não só manter as medidas em vigor, mas reforçá-las assim que necessário", declarou, o primeiro ministro, Jean Castex, aqui dobrado, por Miguel Martins.

Jean Castex, primeiro-ministro francês, 7/1/2021

Estabelecimentos culturais e desportivos continuam encerrados

"Devemos não só manter as medidas em vigor com vista a travar a circulação do vírus, mas estarmos prontos mesmo a reforçá-las assim que necessário.

Todos os estabelecimentos actualmente encerrados manter-se-ão assim pelo menos até ao fim do mês.

Os museus, os cinemas, os teatros, as salas de espectáculo, os recintos desportivos, ou de lazer não beneficiarão de nenhum alívio nas próximas semanas.

As condições de uma retoma a partir do início de Fevereiro serão concertadas com os responsáveis destes sectores a 20 de Janeiro.

Veremos também os responsáveis de restaurantes, proprietários de bares e de ginásios, para os quais infelizmente, a perspectiva de uma reabertura em Janeiro não é realista, e fica adiada no mínimo até meados de Fevereiro."

Enfim, também, o ministro da Saúde, Olivier Véran, que participava igualmente na conferência de imprensa, disse que desde que foram registados 19 casos da estirpe britânica da Covid em França, as autoridades francesas querem "a todo o custo evitar a sua propagação no país". 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.