Mundo

Manifestações na capital Tbilissi após prisão do chefe da oposição na Geórgia

Manifestantes em Tbilissi, após demissão do primeiro ministro, Giorgi Gakhari, contra a prisão do chefe do da oposição, Melia
Manifestantes em Tbilissi, após demissão do primeiro ministro, Giorgi Gakhari, contra a prisão do chefe do da oposição, Melia AFP - VANO SHLAMOV
Texto por: RFI
3 min

A oposição apelou hoje à manifestação na Geórgia após a prisão do chefe da oposição Nika Melia nas instalações do seu partido, movimento nacional unido. Os aliados americano e britânico mostraram-se chocados com a situação e apelaram à libertação do chefe da oposição  de manifestantes. 

Publicidade

Na Geórgia, Nika Melia chefe do principal partido, da oposição Movimento nacional unido, assim como centenas de militantes opositores e manifestantes.

A polícia de choque fez uso de gás lacrimonégeo contra milhares de opositores que se encontravam em frente à sede do partido da oposição. 

A operação da polícia georgiana foi imediatamente denuncida pelos aliados americano e britânico da Georgia; a embaixada americana em Tbilissi afirmou num comunicado estar profundamente preocupada com a prisão do chefe da oposição. 

Por seu lado, o embaixador britânico, Mark Clayton, disse na sua conta Twitter estar chocado com as cenas de violência na sede do principal partido da oposição.

O ministério do Interior reagiu dizendo  ter havido uso proporcional da força e que a polícia interveio com meios específicos  durante a operação.

Observadores consideram que a prisão duma tal  figura de primeiro plano pode agravar a a situação na Geórgia onde se instalou uma crise política desde as legislativas de outubro marcadas por fraudes eleitorais. 

A libertação dos presos políticos e eleições parlamentares antecipadas são a única saída possível da crise, disse Mamouka Khazaradzé, chefe do partido Lelo.

A operação policial surge após a demissao na quinta-feira do primeiro ministro, Giorgi Gakharia, que se referiu a um desacordo no seio do partido no poder sobre a prisão do opositor, Melia.

Melia é acusado de ter instigado à violência durante manifestações em  2019 podendo ser condenado a uma pena de 9 anos de prisão.

Mas Melia, denuncia a sua detenção como um acto de natureza política.

Logo na segunda-feira, depois de ter sido confirmado pelo parlamento, o novo primeiro ministro Irakli Garibachvili, indicou que o chefe da oposição Melia ia ser preso e que não escaparia à justiça.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI