Mundo

Japão despeja para Oceano Pacífico toneladas de água da central nuclear de Fukushima

Japão rejeita para Oceano Pacífico toneladas de água da central nuclear de Fukushima
Japão rejeita para Oceano Pacífico toneladas de água da central nuclear de Fukushima Kazuhiro Nogi AFP/Archivos

O Japão vai despejar para o oceano Pacífico, após o devido tratamento, mais de um milhão de toneladas de água da central nuclear avariada de Fukushima Daiichi, anunciou hoje o governo nipónico apesar da oposição de países vizinhos e pescadores locais. A China e a Coreia do sul condenam, enquanto os Estados Unidos apoiam Tóquio.  

Publicidade

As autoridades japonesas decidiram lançar para o oceano Pacífico cerca de 1,25 milhões de toneladas de água contaminada armazenada em mais de mil cisternas da central nuclear avariada de Fukushima Daiichi. 

Esta decisão decisão põe fim a 7 anos de debates sobre a maneira de desembaraçar da água de chuvas e fontes subterrâneas ou injecções necessárias para refrescar pontos fulcrais de reactores nucleares em fusão após o gigantesco tsunami de março de 2011.

A água será despejada depois de nos terem dado garantias de que ficará a um nível de substâncias radioactivas nitidamente  inferior a normas de segurança, declarou o primeiro ministro japonês, Yoshihide Suga

O PM japonês, disse ainda que o governo tomará as medidas necessárias para impedir que a operação manche a reputação da região. 

 Uma decisão rápida era necessária, segundo o operador da central, do Tepco, pois, continua a haver uma acumulação da água e os limites das capacidades de armazenagem no local poderiam ser atingidos a partir de outono de 2022.

Mas esta estratégia tem os seus críticos como pescadores e agricultores de Fukushima, no nordeste do país que pensam que tal possa estragar a imagem dos seus produtos junto dos consumidores.

Mais de uma centena de pessoas manifestaram-se hoje em frente à residência oficial do primeiro ministro japonês, Suga, em Tóquio, empunhando cartazes com slogans contra a decisão do governo.

Greenpeace, China contra e Estados Unidos apoiam Tóquio

"O governo japonês, abandonou uma vez mais  as gentes de Fukushima", reagiu hoje Greenpeace, fustigando o que chamou uma "decisão completamente injustificada para contaminar o oceano Pacífico. 

Em 2020, peritos recomendaram ao governo a rejeição ao mar, uma prática existente no Japão e no estrangeiro sobre instalações nucleares em actividade.

Por seu lado a Agência internacional de Energia atómica, apoiou também essa decisão dos especialistas, pelo que o seu Director geral, Rafael Grossi, reagiu satisfeito com a decisão do governo japonês. 

Também os Estados Unidos, reagiram apoiando a operação do governo do Japão.

Em contrapartida, a China, denunciou uma operação extremamente irresponsável e a Coreia do Sul, convocou o embaixador japonês em Seul depois de ter denunciado uma operação de risco para o meio ambiente marítimo.

Fukushima, agora as águas contaminadas

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI