Monde

O ditador cubano Raúl Castro deixa liderança do PC a Miguel Díaz-Canel Bermúdez

O ditador cubano Raul Castro deixa liderança do PC a Miguel Dias Cane
O ditador cubano Raul Castro deixa liderança do PC a Miguel Dias Cane © AP - Ariel Ley Royero

Raúl Castro deixou hoje a liderança do Partido comunista cubano, ao Presidente Miguel Díaz-Canel Bermúdez, novo líder do partido único no poder. Um momento histórico após décadas de poder dos irmãos Castro, mas, no entanto, pouco deverá mudar na ilha das Caraíbas.

Publicidade

Foi seu último dia à frente do Partido comunista cubano! Raúl Castro, 89 anos, passou hoje a liderança do partido ao Presidente Miguel Díaz-Canel Bermúdez, de 60 anos.

O Partido comunista cubano, elegeu hoje o presidente, Miguel Diaz-Canel Bermúdez, como seu novo primeiro secretário, substituindo Raúl Castro. Uma eleição no fim do 8° Congresso do Partido que vinha decorrendo em Havana desde sexta-feira.

É um momento histórico após 60 anos de poder dos irmãos Castro, primeiro Fidel, morto em 2016 e agora Raúl, que hoje partiu para a reforma.

Na sexta-feira, altura da abertura do 8° Congresso do partido comunista de Cuba, Raúl Castro, declarou ter a "a satisfação em saber que entrega a direcção do país a um grupo de dirigentes preparados que defendem os princípios da Revolução e do socialismo".

O Presidente Miguel Díaz-Canel Bermúdez, assume a liderança do Partido como primeiro secretário do Partido único, posto mais importante em Cuba, um dos 5 últimos países comunistas no mundo, com a China, Vietname, Laos e Coreia do Norte.

Esta passagem de testemunho sob o lema da continuidade acontece num momento crítico para Cuba, mergulhada na sua pior crise económica dos últimos 30 anos sob o efeito da pandemia do coronavírus e ainda o embargo americano imposto em 1962.

Uma mudança de geração é indispensável

Para John Kavulich, Presidente do Conselho económico e comercial Estados Unidos/Cuba, uma mudança de geração é indispensável pois a idade acumulada dos três dirigentes mais importantes do partido comunista cubano, aproxima-se dos 300 anos.

Uma mudança de mentalidades também é necessária numa população que só conheceu a ditatura dos Castro e que não sabe o que é viver em liberdade. 

A maioria dos cubanos está cansada de viver na miséria, sem liberdade de imprensa e onde os mais críticos estão na prisão, foram assassinados pela ditadura ou fugiram para os Estados Unidos.

Esta mudança é histórica mas ninguém sabe se Miguel Díaz-Canel Bermúdez, vai abrir o país ao pluralismo político e de ideias com uma imprensa livre e eleições livres e democráticas. A ver vamos! 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI