Desporto/Europa

Superliga europeia de futebol à beira de fiasco após renúncia de vários clubes

O  presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, ameaçara  de exclusão das competições europeias, os clubes envolvidos no projecto da super liga europeia.
O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, ameaçara de exclusão das competições europeias, os clubes envolvidos no projecto da super liga europeia. Richard Juilliart UEFA/AFP

Os seis clubes ingleses envolvidos no projecto de superliga europeia de futebol anunciaram a sua retirada, após a forte pressão popular e as críticas emanadas dos meios políticos, com destaque para o Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.  Na terça-feira à noite, o Atletico de Madrid também anunciou a sua desvinculação considerando que o projecto punha em causa a relação do clube espanhol com os seus adeptos.

Publicidade

Dos seis clubes ingleses, o primeiro a  desvincular-se  do projecto de superliga europeia de futebol,  foi o Manchester City.

Num comunicado, a  equipa dos "citizens" de Manchester anunciou que tinha iniciado as diligências formais para retiar-se do grupo encarregado de desenvolver o projecto de Super Liga Europeia.

Na noite de terça-feira, os cinco outros clubes da Premier League,  nomeadamente o Liverpool e o Manchester United, também comunicaram a sua  renúncia.

O Chelsea considerou que a participação no projecto não servia os interesses do clube londrino, dos seus adeptos, assim como da comunidade futebolística mundial.

Boris Johnson, Primeiro-ministro britânico, saudou a decisão doChelsea  e do Manchester United, qualificando-a de inconstestavelmente "boa".

Por seu lado, o Arsenal reconheceu ter cometido um erro ao associar-se ao projecto de Superliga Europeia e pediu desculpas aos seus adeptos.

Na Espanha, o Atletico de Madrid optou igualmente pela saída formal  do projecto.

Permanecem em liça no projecto, três equipas italianas e duas espanholas  (Juventus de  Turim, Inter de Milan  e Milan AC, FC Barcelona , Real Madrid ) .

Todavia a  concretização da superliga europeia está agora, mais do que nunca comprometida.

Segundo os especialistas do futebol europeu, o fiasco anunciado da superliga liga europeia, contribui para tranquilizar o presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, que se opusera vigorosamente ao projecto, ao prometer a exclusão dos clubes envolvidos, das competições da confederação europeia.

Antes do anúncio da retirada dos ingleses, o presidente do Juventus do Turim, Andrea Agnelli, reivindicou numa entrevista ao diário italiano La Republica a justeza  do projecto contestado pelos adeptos do futebol. De  acordo com Agnelli ,o futebol profissional deixou de ser um jogo."É uma indústria" disse o ,presidente do clube italiano, que é criticado na Itália pela sua postura. 

Superliga europeia em vias de ruptura

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI