Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau/Corrupção

Guiné-Bissau: Presidente Sissoco Embaló considera bandidos alguns membros do STJ

Presidente da Guiné-Bissau Umaro Sissoco Embaló, prestando juramento em Bissau, a 27 de fevereiro de  2020..
Presidente da Guiné-Bissau Umaro Sissoco Embaló, prestando juramento em Bissau, a 27 de fevereiro de 2020.. REUTERS/Alberto Dabo
Texto por: RFI | Mussá Baldé
4 min

O Presidente Umaro Sissoco Embaló voltou a reafirmar a sua intenção de dissolver o parlamento se os partidos não alcançarem um entendimento sobre a formação de um novo executivo até 18 de junho e considerou bandidos alguns juízes do Supremo Tribunal de Justiça.

Publicidade

Chegado a Bissau esta terça-feira (2:06) depois de uma vindo de uma visita privada a França, onde esteve em tratamento médico, o Presidente Umaro Sissoco Embaló desferiu fortes ataques aos juízes do Supremo Tribunal de Justiça.

Sem rodeios, Sissoco Embalo disse que há corrupção no Supremo Tribunal e que alguns juízes daquela côrte fazem mais é politica em vez de fazer justiça, mas que a sua hora está quase a chegar.

O Presidente disse que já tem uma solução para esses juízes e avisou que quem quiser fazer politica que se filie a um partido politico, em vez de estar no Supremo Tribunal.

Chegou a apelidar esses juízes de bandidos, com os quais, disse que não irá compactuar enquanto for Presidente da Guiné-Bissau.

Um outro aviso que Umaro Sissoco Embaló deixou em declarações aos jornalistas ainda no aeroporto de Bissau, é de que pode dissolver o Parlamento se persistir o impasse entre os partidos aí representados, quanto à formação de um novo Governo de consenso.

O prazo é até o próximo dia 18 de junho e se até lá o presidente do parlamento, Cipriano Cassamá não conseguir um entendimento entre os seis partidos com assento parlamentar, aí sim, o Presidente Sissoco Embaló diz que vai derrubar o órgão legislativo.

Com a colaboração de Mussa Baldé, correspondente em Bissau.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.