Convidado

Bandé-Gamboa celebra ideal de Amílcar Cabral com música

Áudio 07:59
Na fotografia, da esq. para a dir. : Francisco "Fininho" Sousa, Juvenal Cabral e Lúcio Vieira.
Na fotografia, da esq. para a dir. : Francisco "Fininho" Sousa, Juvenal Cabral e Lúcio Vieira. © rfi/Luís Guita

Bandé-Gamboa é o projecto que junta duas bandas intergeracionais de Cabo Verde e Guiné Bissau e dá corpo ao ideal de Amílcar Cabral através do disco Horizonte.Num espírito de All-Star band, músicos de excepção reinterpretam temas raros ou inéditos do "Funaná", de Cabo Verde, e do "Gumbé", da Guiné-Bissau.

Publicidade

O projecto foi criado pelo produtor executivo Francisco "Fininho" Sousa. A direcção musical da banda da Guiné Bissau foi assumida por Juvenal Cabral, enquanto Lúcio Vieira ficou responsável pela direcção musical da banda de Cabo Verde.

Para se perceber melhor como surgiu e foi construído o projecto Bandé Gamboa, que, para já, tem como "cartão de visita" o disco editado pela Heavenly Sweetness, a RFI foi falar com Francisco "Fininho" Sousa, Juvenal Cabral e Lúcio Vieira.

A banda da Guiné-Bissau: Juvenal Cabral (baixo), Calú Ferreira (teclas), Eliseu Imbana e Sidia Baio (guitarras), Elmano Coelho (saxofone), Toni Bat (bateria), Ernesto da Silva (percussão) Eric Daró, Iragrett Tavares e Micas Cabral (voz).

A banda de Cabo Verde: Lúcio Vieira (baixo), Daya Neves (teclas), Ivan Gomes (guitarra), Elmano Coelho (saxofone), Cau Paris (bateria), Djair de Pina (percussão), Celso Évora, Débora Paris e Kinha Andrade (voz).

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI