Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau/Independência

Guiné-Bissau assinala em grande pompa 47 anos de independência

Umaro Sissoco Embaló, Presidente da Guiné-Bissau, organizou cerimónia grandiosa para a comemoração dos 47 anos da Independência do país, na presença de quatro chefes de Estado da sub-região.
Umaro Sissoco Embaló, Presidente da Guiné-Bissau, organizou cerimónia grandiosa para a comemoração dos 47 anos da Independência do país, na presença de quatro chefes de Estado da sub-região. SEYLLOU / AFP
Texto por: Mussá Baldé | RFI
4 min

Quatro presidentes da República marcaram presença na festa do 47° aniversário da independência da Guiné-Bissau, asssinalados a 24 de Setembro de 2020 : Macky Sall do Senegal, Muhammadu Buhari da Nigéria, Rock Kaboré do Burkina Faso e Mohamed  Ould Ghazouani da Mauritânia, bem como o primeiro-ministro do Togo e os chefes da diuplomacia de Portugal, Libéria, Gâmbia, ministro da energia do Gana e chefe de gabinete do Presidente da Costa do Marfim.

Publicidade

Quatro presidentes da República marcaram presença na festa da independência da Guiné-Bissau : Macky Sall do Senegal, Muhammadu Buhari da Nigeria, Rock Kaboré do Burkina Faso e Mohamed Ould Ghazouani da Mauritânia.

Ainda participaram o primeiro-ministro do Togo, os ministros dos Negócios Estrangeiros de Portugal, da Libéria, da Gâmbia, o ministro da Energia do Gana e o chefe de gabinete do Presidente da Costa do Marfim.

Foi uma cerimónia com muita cor, música, dança e parada militar, organizada no estádio nacional 24 de Setembro, perante cerca de 30 mil pessoas.

O Presidente Umaro Sissoco Embaló aproveitou a ocasião para atribuir medalha Amílcar Cabral aos antigos presidentes do país. A medalha Amílcar Cabral é a mais alta distinção do Estado guineense.

Entre os agraciados, apenas marcaram presença José Mário Vaz, Raimundo Pereira e o próprio Embaló, que recebeu a medalha das mãos do Presidente Buhari da Nigéria.

No seu discurso, Sissoco Embaló pediu aos guineenses para enterrarem o machado de guerra e se empenharem na tarefa da reconstrução do país, dilacerado pela instabilidade política e governativa nos últimos 20 anos.

Os presidentes do Senegal e da Nigéria acabaram por ser as principais atracções das festividades, com ambos a serem agraciados por Umaro Sissoco Embaló com avenidas que vão passar a ostentar os nomes de Macky Sall e Muhammadu Buhari, no centro de Bissau.

O gesto, diz Sissoco Embaló, é o "reconhecimento dos guineenses pelos apoios que o Senegal e a Nigéria têm dado à Guiné-Bissau nos últimos anos".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.