Guiné-Bissau/Covid-19/Vacinas

Guiné-Bissau: multinacional sul-africana MTN oferece 12.000 doses de vacinas AstraZenca

A Guiné-Bissau recebeu a 22 de março 12.000 doses da vacina AstraZeneca oferidas pela empresa de telecomunicações sul-africana MTN.
A Guiné-Bissau recebeu a 22 de março 12.000 doses da vacina AstraZeneca oferidas pela empresa de telecomunicações sul-africana MTN. REUTERS - DADO RUVIC

A Guiné-Bissau recebeu esta segunda-feira, 22 de março, 12.000 doses da vacina AstraZeneka oferecidas pela empresa sul-africana de telecomunicações MTN. O país conta imunizar até 70% da população para controlar a pandemia da Covid-19 e até final do mês de maio, são aguardadas 120.000 doses de vacinas da AstraZeneca, no âmbito da iniciativa COVAX.

Publicidade

As autoridades guineenses contam imunizar até 70% da população como única forma de controlar a pandemia da Covid-19.

Até final do mês de maio, Bissau deverá receber 120 mil doses de vacinas da AstraZeneca, no âmbito da iniciativa COVAX, o que deverá cobrir cerca de 20% da população.

O Banco Mundial também anunciou que vai apoiar a Guiné-Bissau com vacinas para imunizar cerca de 15% da população.

Enquanto o país aguarda pela chegada das vacinas da iniciativa COVAX, a multinacional de telecomunicações, a sul-africana MTN, que opera no país e tem apoiado o combate à pandemia da Covid-19 através da União Africana, comprou 12 mil doses da vacina AstraZeneca que ofereceu à Guiné-Bissau.

Ao receber as 12 mil vacinas no aeroporto internacional de Bissau, a Alta-Comissária para a luta contra a Covid-19, Magda Robalo,  explicou como serão ministradas as vacinas que chegaram a Bissau esta segunda-feira, 22 de março.

"Estas 12.000 doses que nós recebemos agora, felizmente são doses da vacina AstraZeneca que é também a vacina que nós estamos à espera pelo fornecimento pela COVAX, ainda não sabemos quando é que vamos receber as nossas doses de vacina da COVAX e elas vão servir para vacinar as pessoas que estão na linha da frente e que para nós são a primeira prioridade que são os técnicos de saúde. Estas 12.000 doses representam 6.000 pessoas porque como sabem tem que se dar duas doses da vacina".

Por ser o epicentro da pandemia, Bissau, será a primeira localidade onde serão administradas as vacinas.

Ainda no decurso desta semana serão formados técnicos, que vão trabalhar na vacinação e o mais tardar até início de abril arrancará a campanha de imunização das seis mil pessoas ligadas ao combate à Covid-19.

Questionada sobre quando é que o país vai começar a ministrar as 10 mil doses de vacinas que o Senegal ofereceu à Guiné-Bissau, Magda Robalo notou que essas vacinas são as produzidas pela China, país que ainda aguarda pela homologação da OMS, mas os peritos guineenses aconselharam a não utilização, por enquanto, das vacinas chinesas, disse Magda Robalo.

Correspondência da Guiné-Bissau, 22/3/2021

A Guiné-Bissau aprovou o uso de três vacinas, homologadas pela Organização Mundial de Saúde - OMS - contra a infeção provocada pelo novo coronavírus, nomeadamente a Pfizer/BioNTech, Astrazeneca/Oxford e AstraZeneca do Serum Institute da Índia.

Em relação ao Plano Nacional de Vacinação, o Alto Comissariado explicou recentemente que numa primeira fase prevê atingir "20% da população guineense", dando prioridade aos profissionais de saúde, pessoal de apoio à saúde, agentes de saúde comunitária, doentes com HIV/Sida, tuberculose, diabetes, doenças cardiovasculares, respiratórias e doentes renais crónicos.

O Plano, a ser executado em três fases, visa atingir 70% da população guineense, por forma a criar uma imunidade de grupo que possa favorecer uma redução significativa da transmissão.

A Guiné-Bissau regista um total acumulado de 3.558 casos de infecções pelo novo coronavírus, que já provocou 55 óbitos.

Na sequência do aumento de casos que se tem registado desde o início do ano, o Governo guineense decidiu prolongar o estado de calamidade por mais 30 dias, até 25 de março.

A pandemia da Covid-19 provocou, pelo menos, 2.702.004 mortos no mundo, resultantes de mais de 122,2 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa de inforamações AFP.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI