Acesso ao principal conteúdo
GUINÉ-BISSAU

Guiné-Bissau: comunidade internacional saturada com instabilidade

Olusegun Obasanjo, ex presidente nigeriano.
Olusegun Obasanjo, ex presidente nigeriano. RFI
Texto por: RFI
2 min

O antigo presidente nigeriano Olusegun Obasanjo deixou Bissau inconformado com o impasse político. A CPLP, por seu lado, prossegue os contactos com os actores nacionais que apelam a uma decisão política.

Publicidade

Continua o impasse politico na Guiné-Bissau, com as partes irredutíveis nas suas posições o que já começa a cansar a comunidade internacional.

Perante o impasse e sem forças para alterar o estado das coisas, o mediador da CEDEAO, o antigo Presidente da Nigéria, Olesegun Obasanjo, deixou Bissau na última madrugada visivelmente irritado com a classe politica guineense.

Quem ainda vai tentando aproximar as partes é a delegação da CPLP, a comunidade lusófona, integrada pelo chefe da diplomacia de Timor-Leste, Hernâni Coelho e pelo secretário-executivo da organização, o moçambicano, Murade Murargy.

Os dois responsáveis lusófonos desdobraram-se esta quinta-feira em contactos. Estiveram no Supremo Tribunal de Justiça e no Parlamento.

Serão recebidos ainda esta quinta-feira pelo primeiro-ministro, Carlos Correia. Na quarta-feira estiveram na presidência da República.

A CPLP entende que a solução para a crise deve ser encontrada pelos próprios guineenses, no campo político, sem descurar, contudo, o aspeto jurídico da questão.

Confira aqui a crónica audio de Mussá Baldé em Bissau

Correspondência da Guiné-Bissau

Isaac Murade Murargy, secretário executivo da CPLP, continua em Bissau para tentar mediar a crise política. Na saída ontem de uma reunião inconclusiva na presidência com actores políticos e mediadores ele alegava que o importante era trabalhar em prol da estabalidade do país.

Por seu lado o PRS, primeiro partido da oposição guineense, por intermédio de Florentino Pereira, o seu secretário-geral lamenta o facto de a reunião desta quarta-feira ter sido de novo inconclusiva.

Mamadu Queita, da sociedade civil, afirmava-se esperançado quanto ao desfecho das negociações permitindo por cobro ao impasse político-judicial, não obstante a reunião na presidência de ontem reunindo actores políticos e mediadores ter terminado de forma inconclusiva.

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.