Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Jomav apoia regresso de antigos dirigentes

O presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz. 11 de Junho de 2014.
O presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz. 11 de Junho de 2014. SIA KAMBOU / AFP
Texto por: RFI
4 min

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, defendeu hoje o regresso ao país dos antigos dirigentes que tenham fixado residência no estrangeiro devido às questões políticas.

Publicidade

O movimento cívico que quer o regresso dos antigos dirigentes e lideres políticos exilados no estrangeiro disse ter recebido garantias do Presidente José Mário em como nenhum cidadão guineense pode viver fora do país por questões políticas.

O antigo ministro do Interior Fernando Gomes, o coordenador do Movimento, descreveu que José Mário Vaz "acha que não há nenhum político, nenhum governante, nenhum cidadão deste país que tem o direito de dizer que o fulano beltrano, se ele é um cidadão  guineense, não pode voltar ao seu país. Ele entende que todos, mas todos sem excepção devem poder regressar".

A ideia é encontrar mecanismos seguros que possibilitem o regresso ao país de antigos dirigentes, entre os quais o ex-primeiro-ministro Carlos Gomes Junior, exilado entre Portugal e Cabo Verde, na sequência do golpe militar que o destituiu em Abril de 2012 como nos explica o nosso correspondente de Bissau, Mussá Baldé.

Correspondência de Bissau

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.