Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Início da greve geral na Guiné-Bissau

O salário mais baixo ascende a cerca de 45 Euros na função pública.
O salário mais baixo ascende a cerca de 45 Euros na função pública. Liliana Henriques
Texto por: RFI
4 min

A Função Pública da Guiné-Bissau está hoje paralisada devido a uma greve geral de três dias. O Governo diz que não se sentem os efeitos da greve enquanto a central sindical UNTG aponta para uma adesão de mais de 80 por cento. A principal central sindical do país anunciou ontem que iria manter a greve geral da Função Pública convocada para hoje, amanhã e quinta-feira, argumentando que o Governo ainda não deu resposta às suas reivindicações relativas a reajustes salariais.

Publicidade

Ao referir que em virtude de um memorando de entendimento firmado a 14 de Dezembro de 2016, o governo se tinha comprometido a propor uma nova tabela no sentido de aumentar os salários da função pública, a UNTG reclama igualmente o pagamento de uma dívida datando de 2003, altura em que funcionários públicos não receberam os seus salários durante 10 meses.

"Estamos a fazer esta pressão para que o Governo cumpra com os compromissos assumidos", referia ainda ontem o comunicado da UNTG. Por seu turno, ao lamentar que se tenha avançado para o bloqueio, o governo declarou hoje ter já expressado vontade política de resolver esta situação que diz respeito a cerca de 32.000 funcionários do Estado, cujo salário mais baixo ascende a aproximadamente 45 Euros. Mais pormenores com Mussa Baldé.

Mussa Baldé, correspondente da RFI em Bissau

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.