Moçambique: não há casos de coronavírus, mas economia pode tremer

Ponte Maputo-Catembe
Ponte Maputo-Catembe GIANLUIGI GUERCIA / AFP

O Banco de Moçambique admite possíveis efeitos do coronavírus na economia nacional. 

Publicidade

O país ainda não registou qualquer infectado por coronavírus, mas o Banco Central veio já alertar que a epidemia deverá afectar a economia do país já que a China, epicentro da doença, é responsável por cerca de 9% do volume total de comércio.

 

O alerta da instituição bancária adverte, por isso, que os preços dos produtos poderão disparar e as exportações reduzir.

Os números do Instituto Nacional de Estatística, relativos a 2018, revelam que as exportações para a China chegaram a perto de 6%, sendo que as importações representaram cerca de 12% por cento de tudo o que Moçambique comprou ao estrangeiro.

Números que levam o administrador do Banco de Moçambique, Jamal Omar, a temer o prolongamento da epidemia por muito mais tempo, apesar de, por agora, garantir que a economia está estável.

Correspondente da RFI em Moçambique, Orfeu Lisboa

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para “muito elevado”.

O vírus, que foi detetado em dezembro, na China, e que pode causar infecções respiratórias como pneumonia, provocou até ao momento 3.200 mortos e infectou mais de 93 mil pessoas em 78 países.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI