Moçambique

Estado de emergência vigora em Moçambique a partir da meia noite

Entra em vigor à meia noite estado de emergência declado pelo Presidente moçambicano, Filipe Nyusi
Entra em vigor à meia noite estado de emergência declado pelo Presidente moçambicano, Filipe Nyusi Miguel Martins/RFI

Em Moçambique, as organizações da sociedade civil consideram acertada a decisão do Presidente da República em decretar o estado de emergência. Para estas organizações, o estado de emergência vai servir como medida de prevenção numa altura que o país ainda regista 8 casos positivos de coronavírus.

Publicidade

É já a partir da meia-noite em Moçambique e por 30 dias que passa a vigorar o estado de emergência no país por causa da pandemia do coronavírus.

O jurista do Centro de Integridade Pública CIP, Baltazar Fael saúda a declaração do chefe de estado.

"Eu penso que é para proteger um direito maior, que é o direito à vida. Então é de aceitar estas medidas declaradas duma forma razoável".

Esta foi uma decisão acertada também considera o jurista Tomás Viera Mário da organização da sociedade civil Sekhelekane.

"Este é um passo de prevenção porque nós não temos os meios para hospitais; não temos hospitais. Muito menos ventiladores como na Europa."

De Maputo, o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

Correspondência de Maputo 31/3/2020

De notar que o estado de emergência foi declarado pelo presidente moçambicano, Filipe Nyusi, uma decisão que restringe a circulação de pessoas. 

Mas também proíbe a realização de eventos de carácter social, político, religioso ou até mesmo desportivo, num esforço, com vista a travar a propagação do coronavírus em Moçambique.

Oiçamos então o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi.

Filipe Nyusi, presidente de Moçambique

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI