Acesso ao principal conteúdo
#coronavírus

Moçambique com 137 casos de novo coronavírus

Uma vendedora usa uma máscara de protecção contra a covid-19 durante um encontro das vendedoras informais deslocadas dos passeios da baixa da cidade de Maputo para esta nova localização no bairro periferico de Laulanee, em Maputo, Moçambique, 01 de abril de 2020.
Uma vendedora usa uma máscara de protecção contra a covid-19 durante um encontro das vendedoras informais deslocadas dos passeios da baixa da cidade de Maputo para esta nova localização no bairro periferico de Laulanee, em Maputo, Moçambique, 01 de abril de 2020. LUSA - RICARDO FRANCO
Texto por: Orfeu Lisboa
2 min

As autoridades moçambicanas anunciaram, este domingo, mais oito casos de infecção pelo novo coronavírus, elevando o total acumulado para 137. Na sexta-feira à noite, a polícia deteve mais de 100 pessoas no âmbito de uma campanha para combater as concentrações, horas depois de o Presidente ter advertido que as medidas do estado de emergência poderão ser agravadas caso continue a observar-se o desrespeito das regras de prevenção.

Publicidade

O número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus não pára de crescer em Moçambique. Este domingo o número é de 137, mas não há vítimas mortais a lamentar.

Numa avaliação à situação, o Presidente da República, Filipe Nyusi, disse ponderar agravar as medidas: “Venho solicitar a todos os moçambicanos a aderir as regras de distanciamento e protecção. Só com um comportamento responsável poderemos evitar o agravamento de medidas e o regresso gradual a uma vida normal. Compatriotas permitam-me afirmar que os próximos 15 dias são decisivos.

Por outro lado, a polícia moçambicana deteve, na noite passada, na cidade de Maputo, 110 pessoas por venda e consumo de bebidas em aglomerados. 

 

Reportagem de Orfeu Lisboa

Governo anuncia ajudas

O governo moçambicano vai isentar o pagamento de energia aos clientes de baixa renda e adiar o pagamento da taxa para as indústrias hoteleira, da restauração, da cultura e desportiva. 

Uma decisão que tem em vista responder à preocupação de alguns dos sectores cujo impacto da covid-19 se faz sentir, justificou o primeiro-ministro que esteve, na sexta-feira, no Parlamento para responder às preocupações das três bancadas parlamentares, Frelimo, Renamo e MDM. Carlos Agostinho do Rosário apelou também ao empenho da população no aumento da produção e produtividade para satisfazer as necessidades alimentares do país em tempos de crise. 

Declarações do primeiro-ministro de Moçambique

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.