Acesso ao principal conteúdo

Comissão de direitos humanos de Moçambique receia infiltraçao de terroristas

Militares moçambicanos, em patrulha no norte de Moçambique . Imagem de Arquivo.
Militares moçambicanos, em patrulha no norte de Moçambique . Imagem de Arquivo. © AP - Tsvangirayi Mukwazhi
Texto por: Orfeu Lisboa
3 min

 O elevado número de deslocados dos ataques terroristas em alguns distritos da província de cabo delgado, no norte de Moçambique está a preocupar a Comissão Nacional dos Direitos Humanos.

Publicidade

O presidente da organização receia que a fuga, de deslocados dos distritos afectados pela violência armada, possa também abrir espaço para a entrada, em outras províncias, de membros do grupo terroristas…

 Segundo Luís Bitone, presidente da Comissão Nacional  dos Direitos Humanos  de Moçambique ," sobre capa de deslocados,   a insurgência  poderá entrar nas cidades e criar insegurança para toda a gente”.

Luis Bitone lançou  um apelo à  vigilança por parte das forças de segurança contra a infiltração de terroristas

 De  acordo com Bitone  “as forças de defesa e segurança devem redobrar o seu esforço de vigilância porque o número de deslocados que sai do campo para a cidade é muito grande e não há tempo de avaliar quem é refugiado propriamente dito, quem é infiltrado no processo”

Iniciados em Outubro de 2017 em Mocímboa da Praia e  alargados a outros distritos da província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, os ataques terroristas já provocaram pouco mais de 250 mil deslocados e fizeram mil mortos.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.