Moçambique

Renamo acusa Frelimo de perseguir seus membros e impedir acções políticas no centro de Moçambique

Renamo acusa Frelimo no poder de perseguir seus membros e de impedir acção política no centro de Moçambique
Renamo acusa Frelimo no poder de perseguir seus membros e de impedir acção política no centro de Moçambique STEFAN BARBIER / AFP

O presidente da Renamo acusa a Frelimo partido no poder de perseguir os seus membros e impedir a realização da actividade política nas provincias de Sofala, Manica e Tete, no centro de Mocambique. Denúncia feita por Ossufo Momade no final de uma visita de trabalho as províncias do sul, centro e norte de Moçambique. 

Publicidade

Foi após desembarcar no aeroporto internacional de Maputo que o líder da principal forca política manifestou serias preocupações com a vida dos membros do seu partido em algumas províncias.  

Onde existem perseguições, o partido no poder usa os líderes comunitários para criar problemas contra os nossos membros. Estou a falar de casos de Nhamatanda, temos caso de Cahora Bassa, Magoe, onde os líderes não permitem que as nossas bandeiras sejam içadas.   

Ossufo Momade considera que esta atitude vai contra o acordo de paz e reconciliação nacional assinado o ano passado com o presidente da república Filipe Nyusi.

Enquanto existir esses focos, nós pensamos que a reconciliação não está no lugar. 

Para já reitera o presidente da Renamo, que o seu partido e’ pela paz e já trabalha a pensar nas eleições de 2023 e 2024. 

De Maputo, o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

Orfeu Lisboa, correspondente, em Maputo

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI