Acesso ao principal conteúdo

Moçambique: Cabo Delgado três anos depois do início dos ataques terroristas

Militares moçambicanos  em patrulha na  província  de Cabo Delgado.
Militares moçambicanos em patrulha na província de Cabo Delgado. ADRIEN BARBIER / AFP
Texto por: Orfeu Lisboa
3 min

Cumprem-se este mês três anos após o início dos ataques terroristas em Cabo Delgado, norte de Moçambique. Mais de mil mortos, acima de três mil deslocados e diversas infra-estruturas como escolas e hospitais é o balanço provisório desta instabilidade, ainda sem fim a vista.  As razões por detrás destes ataques iniciados a 5 de Outubro de 2017 não são conhecidos.

Publicidade

O assalto ao porto de Mocimboa da Praia,  por vários dias revela a gravidade dos ataques protagonizados por terroristas a nove distritos da província nortenha de Cabo delgado.

Os ataques terroristas na citada região de Moçambique  tiveram início em  2017.

 Mocimboa da Praia, foi precisamente o ponto de partida, com um assalto a um posto policial e saque à uma unidade hospitalar no dia 5 de Outubro de 2017.

Com a designação inicial de homens desconhecidos, depois insurgentes e agora com o assumir da situação sem fim a vista, o governo  moçambicano através do ministro da Defesa, Jaime Neto, admite que o país está a ser alvo de uma agressão.  

 

Os ataques terroristas que duram a 3 anos, resultaram na morte até  a data de mais de mil pessoas  e  acima de 350 mil deslocados.

A  gravidade da situação  levou a União a garantir apoio militar, bem comoi logístico para combater os terroristas em Cabo Delgado. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.