Moçambique/Tanzânia/Terrorismo

Moçambique e Tanzânia cooperam no combate ao terrorismo

Deslocados em Pemba, um dos pontos de chegada dos que fogem à violência armada em Cabo Delgado.
Deslocados em Pemba, um dos pontos de chegada dos que fogem à violência armada em Cabo Delgado. LUSA - RICARDO FRANCO

As polícias da Tanzânia e de Moçambique vão lançar operações conjuntas contra os rebeldes que atacam Cabo Delgado, que têm atravessado a fronteira para o território tanzaniano, anunciaram os chefes das corporações destes dois países.

Publicidade

Moçambique e a Tanzânia vão passar a cooperar na troca de detidos com ligação aos ataques terroristas na província nortenha de Cabo Delgado. 

Anúncio feito pelo comandante-geral da policia de Moçambique, Bernardino Rafael, na sequência do acordo assinado com a contraparte do país vizinho e que prevê também o reforço da vigilância fronteiriça bem como a denúncia de movimentações suspeitas de grupos terroristas.  

Ao todo são 562 cidadãos moçambicanos, detidos na vizinha Republica Unida da Tanzânia, com ligação ao terrorismo, que deverão ser entregues à justiça  para responderem pelos seus actos, anunciou o comandante geral da polícia, Bernardino Rafael.

"Nós queremos trabalhar também com os moçambicanos. Essa troca vai permitir que eles nos digam o pretendem fazer com o nosso país"

O inspector-geral da Polícia da Tanzânia, Simon Sirro, recebeu na sexta-feira, 20 de Novembro, o seu homólogo moçambicano na cidade fronteiriça de Mtwara, anunciou a força de segurança.

Bernardino Rafael revelou à imprensa moçambicana que os dois países vão lançar operações conjuntas contra os rebeldes que atacam Cabo Delgado, que têm atravessado a fronteira para território tanzaniano.

"Acordamos para que nós trabalhássemos em conjunto no sentido de controlarmos a fronteira do Rovuma". 

Orfeu Lisboa, correspondente em Maputo

 

 

Na primeira semana deste mês, o primeiro-ministro moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário,  e o Presidente da Tanzânia, John Magufuli, mantiveram um encontro, no qual foi discutida a importância da cooperação bilateral e regional no combate ao terrorismo.

A violência armada em Cabo Delgado, no norte de Moçambique, está a provocar uma crise humanitária com cerca de duas mil mortes e mais de 500 mil pessoas deslocadas, que se encointram sem habitação, nem alimentos, concentrando-se sobretudo na capital provincial, Pemba.

A província onde avança o maior investimento privado de África, para exploração de gás natural, está desde Outubro de 2017 a ser atacada por grupos de insurgentes e algumas das incursões passaram a ser reivindicadas pelo Daesh desde 2019.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI